Easter Bundt Cake | Bundt Cake Ninho de Páscoa


O que eu mais gosto na Páscoa são mesmo os folares! É impressionante a forma como um simples folar me leva a viajar até à infância. Basta sentir aquele cheiro da erva doce e o aroma da raspa de limão para em segundos ser transportado para a cozinha da minha mãe onde, por esta altura, eram confeccionados imensos folares. Era uma tradição que começava a ser preparada na véspera da sexta feira santa. Os ovos eram os primeiros a ser preparados, cozidos em água e sal, com casca de cebola para lhes dar uma tonalidade mais escura. E depois preparavam-se as massas que ficavam horas a levedar até finalmente chegar o momento de moldar os folares. De vários tamanhos, todos eles levavam um ovo no centro que era coberto com uma massa mais pesada e em forma de cruz. Depois eram pincelados com ovo batido e ficavam novamente a repousar enquanto se preparava o forno de lenha. Chegado o momento de levar os folares ao forno, eu ficava impaciente até que eles saíssem e não descansava enquanto não provava uma fatia partida grosseiramente. Era um delírio poder comer assim os folares ainda mornos e a fumegar. Enquanto os primeiros arrefeciam, preparava-se uma nova a fornada e no final o calor do forno era sempre aproveitado para assar umas batatinhas novas, as primeiras do ano e também o cabrito.


Eram tempos felizes aqueles. Hoje a tradição já não é o que era, nem os folares têm o mesmo sabor. E ainda que eu tente reproduzi-los, eles nunca serão iguais aos que a minha mãe fazia. Opto por reinventar e experimentar outros folares como este de azeite e massapão ou este de chocolate. Mas para além dos folares na minha mesa de Páscoa tem de haver sempre uma sobremesa diferente, que fuja um pouco ao mais tradicional. Esta Pavlova será sempre uma boa opção mas este ano optei por trazer o chocolate que adoro para a festa e fiz este delicioso bundt que encontrei no Ponto de Rebuçado, o blog da minha querida amiga Maria João e que ela anuncia ser o melhor bundt de chocolate. Não tenho qualquer dúvida que seja, pois o seu sabor intenso a cacau e a textura densa que se desfaz na boca torna-o quase pecaminoso. Vesti-o a rigor para a quadra, cobrindo-o totalmente com uma fina camada de chocolate ao qual juntei os fios de ovos e as amêndoas e optei por usar a minha linda forma Elegant Party da Nordic Ware que adquiri na Lecuine, tornando-o ainda mais irresistível. E com esta sugestão  gulosa desejo a todos vocês uma Páscoa muito Feliz!


Easter Bundt Cake | Bundt Cake Ninho de Páscoa

Ingredientes:
| 350 g de farinha s/ fermento
| 1 pitada de sal
| 1 1/2 c. (chá) de fermento em pó
| 250 g de manteiga 
| 370 g de açúcar amarelo
| 1 c. (chá) de extrato de baunilha
| 4 ovos
| 150 ml de água a ferver
| 60 g de cacau em pó
| 250 g de crème fraîche (ou leitelho)

[para a cobertura]
| 100 g de chocolate negro c/ 70% de cacau
| 150 ml de natas
| 1 c. (chá) de óleo de coco
| fios de ovos
| amêndoas laminadas 
| amêndoas de chocolate

Preparação:
1 - Pré-aqueça o forno a 180ºC.  Unte uma forma de bundt com manteiga e polvilhe com farinha ou, em alternativa, unte apenas com spray anti- aderente.

2 - Numa taça misture a farinha peneirada, o sal, o fermento e reserve.

3 - Bata a manteiga juntamente com o açúcar até obter um creme esbranquiçado e fofo. Junte o extrato de baunilha e sem deixar de bater, adicione os ovos, um de cada vez.

4 - Ferva a água e dissolva nela o cacau em pó, mexendo bem com uma vara de arames para remover todos os grumos. Reserve.

5 - Junte 1/3 da mistura de farinha ao creme de manteiga e envolva com uma espátula. Adicione metade do crème fraîche e envolva, novamente a farinha, o restante crème fraîche e termine com a farinha. 

6 - Junte finalmente o cacau e envolva bem até todos os ingredientes estarem bem ligados.

7 - Verta a massa na forma reservada e leve ao forno durante cerca de 45 minutos. Faça o teste do palito antes de retirar o bolo do forno.

8 - Retire o bolo do forno e deixe arrefecer dentro da forma por cerca de 10 minutos. Desenforme sobre uma grelha e deixe arrefecer totalmente.

9 - Pique grosseiramente o chocolate e coloque numa taça. Leve as natas ao lume e aqueça, sem deixar ferver. Verta as natas sobre o chocolate, deixe repousar um pouco e depois envolva com uma vara de arames.

10 - Junte o óleo de coco e mexa até obter um creme fluido e brilhante. Verta o creme sobre o bolo, cobrindo toda a superfície.

11 - Leve o bolo ao frio até o chocolate solidificar e por fim decore a gosto com fios de ovos, amêndoas laminadas e amêndoas de chocolate.

Guardar

Bolo Naked de Limão e Sésamo Preto com Lemon Curd e Cobertura de Mascarpone - 4º Aniversário do Blog


Quem segue as minhas publicações aqui no blog certamente já deve ter reparado na minha ausência. Assim como nas redes sociais, a minha actividade nos últimos tempos tem sido reduzida. Pois que a minha querida Primavera me trouxe de presente uma ligeira gripe que me fez afastar uns dias da cozinha. Começou com uma dor de garganta, à qual dei nenhuma ou pouca importância mas que evoluiu para um estado mais critico que se agravou e me fez cancelar alguns compromissos anteriormente agendados, entre eles um Workshop na cidade de Aveiro.

Mas o momento é de festa e agora que já me sinto melhor é chegada a altura de vir partilhar a receita do bolinho que preparei para assinalar o 4º aniversário do blog. Sim, parece que ainda ontem o Sweet Gula festejava o 1º aniversário. No entanto já passaram 4 anos de tantas partilhas, de afectos, emoções, tanta aprendizagem, receitas testadas e aprovadas e outros tantos momentos bons que guardo carinhosamente no coração.

Não foi um percurso fácil e podia enumerar aqui dois ou três aspectos menos bons, perfeitamente reconhecidos por quem tem e alimenta diariamente um blog, seja ele de culinária ou de outra temática qualquer. Mas prefiro antes focar-me nos aspectos positivos, pois são eles que me dão ânimo e força para continuar com este projecto, ao qual eu me dedico de todo o coração. E um desses aspectos muito bons são vocês, queridos leitores. É a vocês que começo por me dirigir, agradecendo todo o apoio, todo o carinho e afecto que depositam em cada comentário que deixam aqui no blog ou nas redes sociais. Pela confiança que demostram nas receitas que partilho, tantas vezes testadas e também partilhadas por vós nas vossas cozinhas. Fico sempre de sorriso rasgado no rosto cada vez que vejo uma receita que partilhei ser reproduzida noutra cozinha. É isso que me faz feliz, saber que cheguei a alguém, que dei a conhecer um ingrediente novo ou partilhei uma dica que pode ser útil na cozinha. Vocês são o motor que faz andar esta "geringonça" e se não fosse o vosso feedback a minha motivação não seria a mesma.


Gratidão. É aquilo que sinto por todas aos coisas boas que o blog me tem trazido nestes últimos quatro anos. Pelas pessoas fantásticas e queridas a que ele me levou. Pessoas genuínas e que partilham o mesmo gosto que eu sinto pela cozinha. Pessoas humildes que têm a mesma sede que eu tenho em aprender mais e melhor. Pessoas generosas que estão sempre dispostas a partilhar os seus conhecimentos, que estão lá quando temos alguma dúvida ou quando nos sentimos inseguros. A todos vocês, eternamente grato. E claro, a minha esposa, o meu pilar, a pessoa que mais sente na pele os prós e os contras de eu dirigir um blog. Ela que convive diariamente com os livros de culinária e com os props que se vão amontoando cá por casa, ainda que a grande maioria lhe passe completamente ao lado. A pessoa que está sempre lá e que me apoia neste caminho que me faz sentir feliz.

Com o blog tenho vindo a aprimorar mais o meu gosto pelo food styling e pela fotografia. A fotografia de comida em particular. Este é também um dos motivos pelo qual eu não partilho receitas com maior frequência. Porque cada receita que partilho conta uma história e sou capaz de me perder durante horas a fotografar uma receita. Porque enquanto fotografo e crio os cenários estou concentrado no meu mundo e por momentos esqueço todos os problemas. Funciona como uma terapia que no final me deixa relaxado e que me descontrai. Mas nem tudo são finais felizes. Esta é uma cozinha amadora e também existem as receitas que não funcionam, que correm mal. Ou as que até funcionam esteticamente mas que não gostei de ver nas fotografias. Ou ainda aquelas fotografias tiradas num dia cinzento e que nunca chegam a ser partilhadas.


Percorridos quatro anos, muita coisa mudou também, quer nos meus hábitos alimentares quer na forma como olho para os alimentos. Desde então conheci muitos ingredientes novos dos quais nunca ouvi falar. Introduzi outros tantos na minha alimentação diária e fico sempre radiante e cheio de ideias sempre que descubro um ingrediente novo que nunca experimentei. Aprendi também a escolher os alimentos pela sua sazonalidade. Dou sempre preferência às frutas e legumes de cada estação e sempre que possível escolho alimentos de origem biológica. Reduzi o consumo de carnes e alimentos processados e aumentei o consumo de verduras e legumes. Aprendi também a olhar de outra forma para as cartas dos restaurantes e tenho sempre alguma curiosidade em saber como é que os pratos são confeccionados, tentando adivinhar quais os ingredientes que foram usados. Passei a fazer mais refeições em casa, comecei a fazer o meu próprio pão, tal como via a minha mãe fazer quando era criança e sendo eu um guloso assumido, todos os doces e bolos passaram a ser feitos em casa.

Sinto que ainda tenho muito para aprender. É um caminho longo e estou apenas no inicio, mas irei aproveitar todas as oportunidades que me aparecerem pela frente e que possam fazer de mim um melhor cozinheiro. Irei aprender com os melhores e enquanto houver inspiração continuarei aqui a partilhar as minhas aventuras na cozinha. Continuarei a dar o melhor de mim e a depositar todo o amor e dedicação em cada partilha que faça.

Mas é tempo de celebrar e por isso vamos à receita deste bolo delicioso que tanto surpreendeu pela positiva. Uma mistura de ingredientes quase improvável mas que queria tanto experimentar. Vi a receita pela primeira vez no blog da Patrícia, o Coco e Baunilha e desde então que esta receita me persegue. Substituí a tangerina por limão, um ingrediente que adoro, e em vez de um bolo simples decidi vesti-lo a rigor, recheando-o com Lemon Curd e dando-lhe uma fina camada de mascarpone. A combinação do limão com o sésamo preto torrado é maravilhosa e resultou num bolo bastante aromático, de textura macia e que foi rapidamente devorado e elogiado por todos.


Bolo de Limão e Sésamo Preto com Lemon Curd e Cobertura de Mascarpone
(receita adaptada do blog Coco e Baunilha)

Ingredientes:
[para a massa do bolo]
| 50 g de sementes de sésamo preto
| 375 g de farinha
| 2 c. (chá) de fermento em pó
| 1 pitada de sal 
| 220 g de manteiga à temp. ambiente
| 350 g de açúcar amarelo
| raspa da casca de 2 limões
| 6 ovos
| 200 g de crème fraîche
| sumo de 2 limões
| 1 c. (chá) de pasta de baunilha

[para a cobertura]
| 250 g de queijo Mascarpone
| 200 ml de natas frescas
| 150 g de açúcar em pó
| 1/2 c. (chá) de pasta de baunilha

[para o recheio - Lemon Curd]
| 140 g de açúcar amarelo
| casa de 1 limão (só a parte amarela)
| 100 ml de sumo de limão
| 60 g de manteiga
| 2 c. (sopa) de leite
| 2 ovos + 3 gemas

Preparação:
1 - Comece por preparar o Lemon Curd, misturando bem os ovos, as gemas, o leite, o açúcar e a manteiga. Adicione a raspa e o sumo de limão e cozinhe em lume médio, mexendo constantemente até engrossar. Passe por um coador de rede fina e deixe arrefecer. Depois de frio guarde no frigorífico até à hora de usar.

2 - Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Unte com manteiga e forre com papel vegetal duas formas com 16 cm de diâmetro e reserve.

3 - Torre as sementes de sésamo numa frigideira durante 4-5 minutos (estão prontas quando começarem a estalar) e deixe arrefecer. Depois de frias, triture as sementes num processador de alimentos.

4 - Numa taça misture a farinha peneirada, o fermento, as sementes de sésamo trituradas e o sal.

5 - Bata a manteiga com o açúcar e as raspas de limão durante cerca de 5 minutos. Adicione os ovos, um de cada vez, e bata bem entre cada adição. Junte o crème fraîche, o sumo de limão e a baunilha e misture.

6 - Delicadamente, envolva a mistura de farinha com a massa em três vezes, usando uma espátula.
Verta a massa nas formas reservadas e com a espátula alise a superfície.

7 - Leve ao forno durante 35-40 minutos. Faça o teste do palito antes de retirar do forno.
Retire os bolos do forno e deixe que arrefeçam na forma por 5-10 minutos. Desenforme e deixe arrefecer por completo sobre uma grelha.

8 - Prepare a cobertura, batendo o mascarpone até ficar macio. Junte as natas e bata mais um pouco até que fiquem firmes. Por fim adicione a baunilha e o açúcar em pó e bata até atingir a consistência desejada.

9 - Corte cada um dos bolos ao meio, na horizontal, formando quatro camadas de bolo iguais. Coloque a primeira camada de bolo num prato de servir e com uma espátula espalhe uma fina camada de creme de mascarpone sobre o bolo.

10 - Coloque um bico de ponta redonda num saco de pasteleiro, encha-o com creme de mascarpone e  forme um anel em toda a volta a cerca de 1/2 cm da extremidade (este anel irá servir de "barreira" para que o  Lemon Curd não escorra para fora enquanto monta o bolo). Espalhe 2-3 c. (sopa) de Lemon Curd e alise bem.

11 - Coloque agora a segunda camada de bolo sobre o Lemon Curd da primeira camada e repita o processo para as restantes camadas de bolo.

12 - Preencha todo o bolo com o creme de mascarpone e com uma espátula alise em toda a volta e no topo até que o creme forme uma camada lisa e uniforme.

13 - Leve ao frigorífico durante algumas horas para que os cremes ganhem consistência. Decore a gosto com flores e/ou frutas e sirva bem fresco.