Sopa Thai de Brócolos, Couve Kale e Coco


Esta é a estação mais fria do ano. Aquela que convida a ficar em casa, que nos leva a acender a lareira e a preparar bebidas quentes. É a estação que pede conforto e roupas mais aconchegantes. Que nos leva a ligar o forno, uma e outra vez. Que pede comida de tacho, daquela que satisfaz o estômago e que nos deixa de alma feliz. É inegável que estamos no Inverno e nada sabe melhor que uma sopa fumegante e quentinha, acabada de fazer. Nunca dispenso uma sopa, independentemente da estação do ano, mas convenhamos que nesta altura, comer uma sopa é puro prazer. Preparadas com os ingredientes da estação, aqueles que apresentam o seu auge de sabor e que nos vão dar os nutrientes e vitaminas que necessitamos para enfrentar o frio que se faz sentir lá fora. 


As sopas remetem-nos para memórias longínquas e através delas conseguimos viajar até outras culturas, povos e tradições. Não dispenso uma sopa tipicamente portuguesa, daquelas cujos sabores são tão nossos. Ou das que levam quase tudo o que temos à mão, abóbora, feijão, massa, couve e mais o que houver. São sopas que nos deixam verdadeiramente satisfeitos. Mas não dispenso arriscar outros sabores, como é o caso desta sopa Thai, um pouco picante e bem verdinha e que nos leva a viajar até ao continente Asiático. Uma sopa que nos nutre por dentro e que nos deixa de sorriso no rosto. A combinação de sabores é surpreendentemente deliciosa e o topping de grão-de-bico crocante vem dar aquele toque extra e a textura perfeita para fazer desta uma sopa excepcional e que vem para ficar.

A criação desta sopa surgiu através do desafio #EatCaptureShare, lançado no Instagram pela querida Kimberly, fotógrafa, foodstylist e autora do blog The Little Plantation. Neste desafio a Kimberly lança um tema e vários tópicos, com os quais temos de desafiar a nossa imaginação e criatividade, desenvolvendo assim novas técnicas e experimentando novas perspectivas na área da fotografia de comida. Confesso que estou a adorar o desafio e aprende-se muito, interagindo com outras pessoas cheias de talento.






Sopa Thai de Brócolos, Couve Kale e Coco

Ingredientes:
| 2 c. (sopa) de azeite
| 1 cebola
| 3 dentes de alho
| 2 c. (chá) de gengibre fresco ralado
| 1/2 pimento chili
| 1 pé de erva príncipe
| 1 lt de caldo de legumes
| sal
| 500 g de brócolos
| 2 chávenas de couve Kale
| 1 chávena de espinafres crus
| 1/2 chávena de coentros frescos
| 1/2 lata de leite de coco
{para o topping - Grão-de-Bico Crocante}
| 400 g de grão-de-bico cozido
| 1 c. (chá) de cominhos em pó
| 1 c. (chá) de paprika fumada
| 1 c (chá) alho em pó
| 1 pitada de pimenta
| 1 pitada de flor de sal
| 2 c. (sopa) de azeite

Preparação:
1 . Comece por preparar o grão-de-bico crocante, ligando o forno a 200ºC. Passe o grão-de-bico por água e depois absorva o excesso com papel absorvente. Coloque numa taça juntamente com os restantes ingredientes e misture bem. Espalhe o grão numa única camada, num tabuleiro de forno forrado com papel vegetal e leve ao forno cerca de 30-35 minutos.

2 . Leve uma panela ao lume com o azeite, a cebola picada, o alho picado, o gengibre e pimento chili. salteie até a cebola ficar translúcida. Adicione a erva príncipe, cortada em rodelas bem finas e salteie mais um pouco.

3 . Adicione o caldo de legumes e deixe levantar fervura. Junte os brócolos, a couve Kale, tempere com sal e deixe cozinhar cerca de 15-20 minutos.

4 . Retire a panela do lume, adicione os espinafres crus e os coentros frescos e triture até obter um creme bastante homogéneo e aveludado.

5 . Adicione ao creme o leite de coco e misture bem até ficar homogéneo. Se necessário ajuste os temperos, adicionando mais sal ou mais leite de coco.

6 . Distribua a sopa por taças e sirva com o grão-de-bico crocante e coentros picados.







Pudim de Chia e Diospiro com Granola


O início de um novo ano traz sempre algumas mudanças nas nossas vidas. Muitos de nós queremos mudar pequenos hábitos, incrementar outros e isto reflete-se sobretudo na forma como nos alimentamos. Queremos ser mais saudáveis, comer menos alimentos processados, introduzir mais verduras e legumes nas refeições, comer mais ingredientes de origem biológica e sobretudo variar naquilo que comemos. Se existe refeição em que é difícil variar é o pequeno almoço. Nem sempre temos tempo ou disposição para preparar a primeira refeição do dia, comemos sempre ou quase sempre as mesmas coisas e acabamos assim por menosprezar aquela que é a refeição mais importante. Esta é a refeição que nos vai dar a energia necessária para enfrentar um novo dia de trabalho e por isso deve ser bastante completo, saudável e nutritivo. E não há desculpas para não variar nos pequenos almoços. Já pensaram em preparar o pequeno almoço de véspera?! Os pudins de chia são a solução perfeita para que no próprio dia tenhamos apenas de abrir a porta do frigorífico, adicionar alguma fruta da época, uns toppings a gosto e assim degustar uma refeição prática, equilibrada e muito saborosa.


Depois existem as granolas. O que adoro granolas! São muito versáteis e nutritivas, podem ser adicionadas a um simples iogurte natural, misturadas no leite ou comidas assim simples, directamente da embalagem, como eu adoro. Apesar de as fazer imensas vezes em casa, não resisto a experimentar novas granolas que existem à venda no mercado. E se ainda não experimentaram as novas granolas da Nacional não sabem o que perdem. Acabadas de sair, existem em duas versões, ambas preparadas com aveia integral, sem corantes ou conservantes e sem adoçantes artificiais. Existe a Granola de Aveia com Mel, preparada com cereais tostados e um leve toque de mel e a Granola de Aveia com Cacau e Pedaços de Chocolate Negro, a minha preferida. Ambas apresentam um sabor reconfortante que nos dá a sensação de prazer de forma natural e equilibrada. São o complemento ideal para os pudins de chia e diospiro, cuja receita podem ver mais abaixo. Este é um pequeno almoço completo e saudável, que sacia, que nos deixa satisfeitos e cheios de energia. Experimentem esta receita, super fácil de preparar. Esta e outras sugestões de receitas com os deliciosos produtos da Nacional que podem sempre consultar aqui. Visitem e sigam também as páginas da marca no Facebook e Instagram.







Pudim de Chia e Diospiro com Granola

Ingredientes:
| 250 ml de bebida de amêndoa
| 1 iogurte natural
| 2 c. (sopa) de mel
| 1/2 c. (chá) de pasta de baunilha             
| 60 g de sementes de chia
| 2 diospiros maduros
Preparação:
1 . Num recipiente hermético misture a bebida de amêndoa com o iogurte, 1 c. (sopa) de mel e a pasta de baunilha. Junte as sementes de chia, envolva e deixe repousar. Passados 10-15 minutos volte a mexer, tape o recipiente e guarde no frigorífico durante pelo menos 4 horas (idealmente de um dia para o outro).

2 . Descasque os diospiros, corte-os em pedaços e coloque num processador juntamente com 1 c. (sopa) de mel e a canela. Triture até ficar em puré e se necessário adicione 1 ou 2 c. (sopa) de água.

3 . Distribua o pudim de chia por taças ou copos, junte o puré de diospiro a gosto e adicione Granola de Aveia Integral Nacional, com Cacau e Pedaços de Chocolate Negro ou com Aveia e Mel.

4 . Regue os pudins com um fio de mel e se preferir sirva com rodelas de diospiro, usando um cortador de bolachas e dando-lhes a forma que preferir. 






Galette des Rois de Pistácio e Framboesa


E de repente estamos em 2020! Um virar de página no calendário, o início de uma nova década e toda uma série de novas oportunidades para aproveitar melhor a vida e ir em busca da felicidade. Nem sempre é fácil, pois a felicidade muitas vezes está camuflada ou escondida nas pequenas coisas. Nos momentos relâmpago que tantas vezes nos passam despercebidos. Damos demasiada importância ao que não interessa. Estamos tão preocupados em atingir os nossos objectivos e a chegar ao destino que traçámos, que não aproveitamos os pequenos momentos, não apreciamos a viagem. E quando damos por isso já é tarde, a vida passou e nós deixámos escapar a felicidade. Cabe a cada um de nós fazer com que cada dia valha a pena, manter próximas as pessoas luz e afastar as pessoas tóxicas. Ir ao encontro do que realmente importa, do que nos faz sentir bem. E estar mais vezes com  quem gostamos e com quem nos acrescenta algo. Fazer o bem todos os dias, contribuindo assim de forma positiva e enriquecedora, para as nossas vidas e de quem nos rodeia. Só assim a vida faz sentido.


O ano de 2019 não foi fácil. Quando pensamos que tudo está bem, que a viagem está a tomar o rumo certo, vem a vida relembrar que somos humanos e que não somos heróis. Que não mandamos nada nisto e que também caímos, muitas vezes sem saber porquê. Levamos um soco no estômago e sentimos o mundo desabar. E aos poucos, muito devagarinho, vamos-nos levantando e ganhando forças. Às vezes basta um susto para nos fazer mudar de direcção e assim passarmos a olhar para a vida de forma diferente. E nessas alturas é urgente abrandar e desconectar. Estar próximo de quem amamos e dar importância ao que nos faz realmente felizes. Não sei o que me reserva este novo ano, mas sei que quero vivê-lo mais devagar, quero apreciar e aproveitar cada dia, cuidar mais de mim e dos meus. Sem pressas, sem planos, sem resoluções, apenas viver, um dia de cada vez.

De uma coisa tenho a certeza, vou continuar a cozinhar e a partilhar as minhas receitas. É algo que adoro fazer e que me deixa verdadeiramente feliz. Por isso aqui estou eu com a primeira receita do ano, preparada para celebrar o Dia de Reis e dar por encerrada esta época de festividades. Neste dia é normal haver Bolo Rei para celebrar, mas confesso que já não posso ver bolo rei à frente. O mais provável, havendo ainda sobras, é transformá-las nestes Queques de Bolo Rei ou nestes Pudins de Bolo Rei. Opto assim por receitas diferentes neste dia. Para este ano escolhi algo que adoro, típico nesta altura do ano e muito tradicional na gastronomia francesa. Já havia experimentado antes a Galette des Rois tradicional e também uma versão mais arrojada, esta Galette des Rois de Chocolate e Avelã. Mas não resisti a uma outra versão, partilhada pela querida Patrícia, no seu blog Coco e Baunilha. A combinação de pistácio e framboesa é algo que me desperta os sentidos. E em boa hora fiz esta galette, pois é mesmo deliciosa. Uma conjugação perfeita e equilibrada de sabores que se torna irresistível.






Galette des Rois de Pistácio e Framboesa
(receita adaptada do blog Coco e Baunilha)

Ingredientes:
| 2 bases de massa folhada de compra
| 100 g de amêndoa moída
| 20 g de amido de milho
| 150 g de açúcar em pó
| 125 g de manteiga fria
| 2 ovos
| 1 c. (sopa) de pasta de pistácio*
| 1 c. (chá) de pasta de baunilha
| 80 g de framboesas
| 1 gema
| 1 c. (sopa) de água
| xarope de Agave para pincelar

*Nota: caso não encontre a pasta de pistácio à venda, basta adicionar 75 g de pistácios salgados e sem a casca à amêndoa moída no passo 1. da receita e triturar.

Preparação:
1 . Num processador de alimentos triture a amêndoa, o amido de milho e o açúcar em pó. Junte a manteiga fria, em cubos, e volte a triturar até obter uma mistura areada.

2 . Adicione os ovos, a pasta de pistácio, a baunilha e misture até ficar homogéneo. Reserve no frigorífico até usar.

3 . Disponha uma das bases de massa folhada sobre um tabuleiro e com a ajuda de uma forma, recorte um círculo com cerca de 26 cm. Descarte o excedente de massa.

4 . Espalhe e alise o creme de pistácio sobre a massa folhada, deixando uma margem de 2 cm em toda a volta. Espalhe por cima as framboesas e pressione-as ligeiramente para ficarem submersas na massa.

5 . Misture a gema de ovo com a água e pincele a margem de massa que não tem o creme.

6 . Recorte o segundo círculo de massa folhada, este ligeiramente maior que o primeiro, com cerca de 27 cm. Disponha o círculo de massa sobre o creme, centrado com o primeiro círculo. Pressione ligeiramente em toda a volta com os dedos, por forma a selar as massas.

7 . Pincele a superfície da galette com a mistura de gema e água e reserve no frigorífico durante 1 hora.

8 . Pincele novamente a galette com a gema e com as costas de uma faca faça alguns desenhos a gosto. Faça um ou dois furos na superfície para a libertação de vapores.

9 . Pré-aqueça o forno a 200ºC e entretanto reserve a galette no frigorífico.

10. Leve a galette ao forno durante cerca de 35-40 minutos, até ficar bem dourada. Se necessário baixe a temperatura para os 180ºC a meio da cozedura. Retire a galette do forno e pincele com xarope de Agave.







Bolo Rei sem Glúten


O natal simboliza a paz, a união e o amor. É uma época de tradições no que diz respeito à alimentação e por isso é celebrado em família, a maior parte do tempo à volta da mesa. Por estes dias cometem-se alguns excessos, pois não há quem resista às tradicionais rabanadas, aos sonhos, às filhoses, ao arroz doce e ao bolo rei. Se para muitos de nós o problema está em gerir o peso e as calorias ingeridas, para outros a preocupação é bem maior, principalmente no que diz respeito às sobremesas. Todos nós conhecemos ou temos alguém na família que sofre de doença celíaca. Para estas pessoas, que são alérgicas ou intolerantes ao glúten, comer um simples sonho pode tornar-se num verdadeiro pesadelo. A maioria das sobremesas tradicionais de Natal são feitas à base de farinha, com glúten, sendo por isso uma ameaça para quem não pode consumir esta proteína. 


Felizmente, hoje em dia já existem muitas opções e alternativas mais saudáveis, assim como farinhas que nos permitem preparar algumas sobremesas muito semelhantes às tradicionais. Por isso, sim, é possível ter na mesa de Natal uns filhoses sem glúten, rabanadas sem glúten ou até um tronco de Natal sem glúten. Até os tradicionais bolo rei e bolo rainha podem ser preparados na versão sem glúten, mantendo o mesmo sabor de sempre e permitindo a quem é intolerante desfrutar de um Natal sem glúten. Exemplo disso é este Bolo Rei sem Glúten que preparei em colaboração com o Alegro e que acompanha o artigo "Sobremesas de Natal sem Glúten". Neste artigo, que podem ler na íntegra aqui, falo desta doença que afecta já alguns milhares de portugueses e dou também algumas sugestões de sobremesas de Natal sem glúten.  

Aproveito para desejar a todos aqueles que por aqui passam e me leem, um santo e Feliz Natal, na companhia dos vossos familiares e amigos. Que esta seja uma quadra de paz e união, de reencontro e celebração. Comam bem mas com moderação e não se esqueçam nunca de serem muito felizes. Boas Festas!




(artigo escrito em colaboração com o site Alegro)

Sobremesas de Natal sem Glúten

Aproxima-se a passos largos a quadra festiva mais apreciada pelos portugueses, o Natal. Não se tratando apenas de uma celebração religiosa, este é também um momento de paz e reflexão, um momento de reencontro e celebração entre amigos e familiares. É tempo de agradecer e celebrar, de juntar a família e os amigos à volta da mesa da consoada.

Para quem sofre de intolerância ao glúten, a ceia de Natal pode tornar-se num verdadeiro desafio, sobretudo no que diz respeito às sobremesas, uma vez que as mais tradicionais são, na sua grande maioria, preparadas à base de trigo. A boa notícia é que existem inúmeras receitas de sobremesas de Natal sem glúten, que podem ser adaptadas das versões originais e que não irão comprometer a nossa saúde e bem estar. Mas já lá vamos.

O que é o glúten, afinal?!
O glúten  é uma proteína complexa que está presente em alguns cereais, como o trigo, o centeio e a cevada. A aveia, apesar de não conter naturalmente glúten, deve ser evitada, pois pode conter glúten por contaminação. 

Esta proteína, ao ser ingerida por algumas pessoas, provoca uma inflamação dolorosa e danos no intestino. Estes são os doentes celíacos, que sofrem de uma condição autoimune permanente e que não podem consumir ou mesmo tocar em alimentos que contenham glúten.

A abstinência total de glúten é o único tratamento eficaz para os doentes celíacos que devem evitar comer alimentos como pão, bolos, bolachas, biscoitos e alguns cereais. Felizmente já existem no mercado algumas alternativas de farinhas sem glúten que facilmente permitem adaptar as receitas mais tradicionais e desfrutar de deliciosas sobremesas de Natal sem glúten, para além do leite creme e do arroz doce, que por si só já não contêm glúten.

Sugestões de Sobremesas de Natal sem Glúten
Na sua grande maioria as sobremesas de Natal (...)

(leiam o artigo completo aqui)




Bolo Rei sem Glúten

Ingredientes:
| 130 ml de bebida vegetal de aveia
| 125 g de açúcar amarelo
| 2 ovos
| 75 g de manteiga
| 1 pitada de sal
| raspa da casca de 1 laranja
| raspa da casca de 1 limão                           
| 400 g de mistura preparada de farinhas s/ glúten (usei Nacional)
| 50 g de fécula de batata
| 30 g de fermento de padeiro fresco
| 200 g de mistura de frutas secas e cristalizadas
{para decorar}
| 1 gema
| 1 c. (sopa) de bebida vegetal de aveia
| frutas secas e cristalizadas qb
| açúcar pérola qb

Preparação:
1 . Amorne ligeiramente a bebida vegetal de aveia e coloque na taça de uma batedeira juntamente com os restantes  ingredientes, à excepção das frutas secas e cristalizadas. Amasse com o gancho durante alguns minutos até obter uma massa homegénea e um pouco pegajosa. Adicione as frutas secas e cristalizadas picadas e amasse a uma velocidade baixa, apenas para envolver (Caso opte por amassar à mão, aqueça a bebida e dilua o fermento nela. Numa taça larga misture os ingredientes secos com excepção das frutas, faça um buraco no centro e aos poucos vá adicionando os ingredientes líquidos e amassando com as mãos até obter uma massa homogénea. Junte as frutas e envolva na massa).

2 . Tape a taça com um pano e deixe levedar num local seco durante pelo menos 3 horas ou até que duplique de volume.

3 . Transfira a massa para uma bancada polvilhada com farinha de trigo sarraceno ou de arroz e divida a massa em duas bolas. Em cada bola faça um buraco no centro e com as mãos vá alargando a massa formando uma rosca (a massa ainda vai estar pegajosa, não caia na tentação de adicionar mais farinha, pelo que molhar as mãos com água ou azeite será a melhor forma de conseguir moldar a massa). Coloque ambas as roscas em tabuleiros de forno forrados com papel vegetal e deixe levedar durante 1 hora.

4 . Pré-aqueça o forno a 180ºC. Misture a gema de ovo com 1 c. (sopa) de bebida vegetal e pincele os bolos com esta mistura. Decore com as frutas secas e cristalizadas. Coloque também algum açúcar pérola e leve de seguida os bolos ao forno durante cerca de 30 minutos ou até que comecem a dourar. Retire os bolos do forno, deixe arrefecer e sirva.