Pêssegos Assados com Mel e Alecrim


Das coisas que eu mais gosto na estação dos dias quentes é toda a abundância de fruta e legumes que existe ao nosso dispor. A experiência visual de visitar um mercado nesta altura do ano é simplesmente fantástica. Poder observar de perto toda uma paleta de cores e sabores que nos inspiram e nos convidam a ir para a cozinha é algo de extraordinário. Adoro todas os frutos de Verão e acho que poderia viver eternamente nesta estação só para os poder comer. Os morangos, as cerejas, os alperces, os pêssegos e as nectarinas, os melões e as melancias, os mirtilos e as framboesas e também as amoras e até os figos. Não há como não ser grato por toda esta abundância e diversidade que a Natureza nos oferece.


Com tanta abundância nem sempre é fácil escoar toda a fruta que chega cá a casa. Uma parte acaba por ser transformada em compotas que posteriormente uso em gelados ou adiciono aos iogurtes. É também a forma que temos de ir saboreando estes frutos até mais tarde e até durante o Inverno. Outros frutos são usados para fazer sumos e também em sobremesas. Esta é sem dúvida a estação das tartes e nada sabe melhor que degustar uma generosa fatia de tarte de ameixa ou uma galette de mirtilos com uma bola de gelado. Os bolos com fruta serão sempre os meus preferidos e também são uma excelente opção para usar a fruta em abundância. Mas se não apetecer ligar o forno, temos os cheesecakes e os semifrios. Ideias não faltam para aproveitar a fruta e saborear estes dias quentes e luminosos de Verão. 

A sugestão de hoje é mesmo muito simples, quase não chega a ser uma receita. Mas é cheia de sabor e resulta numa sobremesa perfeita para partilhar e saborear aí em casa, num almoço de família ou com os amigos. A combinação do mel com o alecrim é perfeita e conjuga lindamente com os pêssegos caramelizados, depois de irem ao forno. Experimentem, pois tenho a certeza que vão adorar. Ah, e não se esqueçam de servir com uma bola de gelado. Acreditem em mim, faz toda a diferença. E vocês, como costumam tirar partido da fruta de Verão?!




Pêssegos Assados com Mel e Alecrim

Ingredientes:
| 4 pêssegos
| 1 raminho de alecrim
| 1 fio de mel + qb para servir
| gelado de baunilha
| nozes pecan

Preparação:
1 . Corte os pêssegos em metades e descarte os caroços. Disponha os pêssegos num tabuleiro de forno, regue-os com um fio de mel e salpique com alecrim picado.

2 . Leve os pêssegos a assar ao forno pré aquecido a 180ºC durante 30 minutos.

3 . Retire os pêssegos do forno, deixe que arrefeçam um pouco e sirva com uma generosa bola de gelado de baunilha, nozes pecan picadas e um fio de mel.




Gelados de Iogurte e Maracujá


Finalmente estão aí os dias mais quentes e nada sabe melhor do que um geladinho para refrescar! Adoro comer gelados durante todo o ano mas é nesta altura que eles me sabem melhor. Então, sempre que o calor chega, lá vou eu tirar a cuba da máquina de gelados do congelador ou as formas de geladinhos individuais e aventuro-me a fazer gelados em casa. Adoro, sejam eles mais simples, preparados apenas com fruta congelada ou dos mais pecaminosos, daqueles que não conseguimos mesmo parar de comer. Ando sempre à procura de receitas e sabores novos para experimentar e esta é a altura perfeita para aproveitar a abundância de fruta e fazer gelados bem coloridos e saborosos. Adoro gelados e acho que era capaz de comer gelados todos os dias!


Fazer gelados em casa tem algumas vantagens, entre elas o facto de podermos usar os sabores que mais gostamos e assim escoar a fruta madura da época que se vai acumulando na fruteira. Por outro lado, podemos usar ingredientes menos calóricos, como o iogurte e adoçantes naturais como o mel ou o maple syrup. Para estes gelados vão precisar apenas de cinco ingredientes. São uns gelados simples e muito fáceis de preparar, uns gelados de pauzinho, feitos apenas com fruta e iogurte, não havendo necessidade de recorrer à máquina de gelados e que todos podem fazer em casa. Usei a polpa de maracujá, um sabor tropical que adoro e que é muito refrescante. Aproveitem que o fim de semana está à porta, juntem as crianças e os adultos aí de casa e preparem uma ice cream party em família. Um geladinho sabem sempre bem para refrescar. Já disse que adoro gelados?!





Gelados de Iogurte e Maracujá

Ingredientes:
| 1/2 chávena de polpa de maracujá
| 1 c. (sopa) de amido de milho
| 350 g de iogurte natural (ou grego natural)
| 2 c. (sopa) de maple syrup (ou mel)
| 1 c. (chá) de pasta de baunilha (opcional)

Preparação:
1 . Leve um tachinho ao lume com a polpa de maracujá e o amido. Mexa energicamente com uma vara de arames até o amido dissolver. Deixe engrossar um pouco e quando começar a ferver desligue o lume.  Retire o tacho do lume e deixe arrefecer.

2 . Misture o iogurte natural com o maple syrup e a pasta de baunilha.

3 . Distribua metade da polpa de maracujá pelas formas dos gelados, formando uma primeira camada. De seguida adicione o iogurte e termine com a restante polpa de maracujá. Com o cabo de uma colher de sopa ou uma faca, mergulhe nas formas e misture ligeiramente as camadas.

4 . Leve os gelados ao frigorífico durante pelo menos 8 horas ou, idealmente, de um dia para o outro.






Enchiladas Vegan


Finalmente chegou o Verão! E digo finalmente, não por ser a minha estação do ano preferida mas porque ansiava por estes dias grandes, mais quentes e luminosos, que convidam a sair de casa e a estar em contacto com a Natureza. Ainda que, atendendo a toda a situação pandémica que vivemos, não me tenha apercebido muito bem como de repente chegámos a meio do ano, mas a verdade é que os dias não param de contar no calendário. Aos poucos e com as devidas precauções, começamos a desconfinar deste pesadelo viral e retomamos as nossas vidas ditas normais. Lentamente vamos revendo amigos e familiares e, ainda que em pequenos grupos, podemos ir matando saudades daqueles que mais gostamos. E qual a melhor forma de reunir amigos e família num dia de Verão?! À volta de uma mesa cheia de boa comida, pois claro. Estes dias convidam a fazer um piquenique ou a colocar a mesa no jardim ou mesmo na varanda e a aproveitar o ar livre. Queremos refeições mais leves e práticas, preparadas com ingredientes locais e sazonais, um bom vinho a acompanhar e muitas gargalhadas.


O Verão é aquela estação do ano que nos oferece toda uma variedade infindável de frutos e legumes cheios de cor e sabor. Um dos frutos que mais adoro saborear nesta altura do ano é o tomate. Seja em sopas ou saladas, cru ou cozinhado, recheado ou como molho para pizzas ou outros pratos, o tomate está agora no seu auge de sabor. Ao longo do ano é difícil encontrar um bom tomate e para isso existe a marca portuguesa Guloso que oferece toda uma gama de conserva pronta a dar cor e sabor aos nossos cozinhados. Tomate 100% natural, cultivado na região do Ribatejo, sem qualquer tipo de conservantes ou outros aditivos, apresenta-se de forma simples ou temperado, em pedaços, puré ou ainda concentrado. Costumo ter sempre em casa este tipo de produtos à base de tomate, pois para além de ajudarem a ganhar tempo para passarmos como e com quem mais gostamos, são ainda a base perfeita para vários pratos portugueses e não só.

Desafiado pela Guloso a criar uma receita com um dos seus produtos da gama tomate temperado, não hesitei em escolher o Tomate Guloso Pedaços Cebola & Alho. É a base de todos os refogados e de todos ou quase todos os pratos tipicamente portugueses. Pratos que aquecem a alma e que nos transportam para boas memórias ou, neste caso, para outros continentes. Preparei umas enchiladas, uma receita típica do México, cheia de cor e muito sabor. Bem condimentada, pode ser preparada com carne ou frango, mas eu prefiro uma versão vegan, feita com feijão preto e perfeita para saborear em família, num destes dias de Verão.






Enchiladas Vegan

Ingredientes:
| azeite qb
| 1 cebola média
| 1/2 pimento vermelho
| 1/2 pimento amarelo
| 2 dentes de alho
| 500 g de feijão preto cozido              
| 150 g de milho doce cozido
| 3 cebolinhas                                      
| 1/2 pimento chili picado
| 1 ramo de coentros picados
| 1/2 c. (chá) de cominhos em pó
| sal e pimenta
| sumo de 1 lima
| 8 tortilhas de trigo
| queijo mozarela vegan ralado

Preparação:
1 . Coloque o Tomate Guloso Pedaços Cebola & Alho num copo fundo ou num processador, triture até obter um molho homogéneo e reserve.

2 . Leve uma frigideira ao lume com um fio de azeite e a cebola picada. Salteie até a cebola alourar e adicione os pimentos aos cubos e os dentes de alho picados, salteando mais um pouco.

3 . Adicione o feijão cozido, o milho, as cebolinhas, o pimento chili e os coentros. Tempere com os cominhos, sal e pimenta, regue com o sumo de lima e deixe cozinhar um pouco. Adicione metade do molho de tomate reservado e cozinhe alguns minutos, mexendo de vez em quando e deixando a mistura reduzir.

4 . Divida o preparado pelas tortilhas, enrole-as e disponha-as num recipiente ou frigideira que possa ir ao forno.

5 . Verta o resto do molho de tomate sobre as tortilhas e polvilhe a gosto com queijo mozarela ralado. Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC durante 20 minutos e sirva as enchiladas ainda quentes, polvilhadas de cebolinhas, milho e pimento chili (opcional).






Cheesecake de Manga e Maracujá


Finalmente chegaram os dias mais quentes. Já apetece colocar a mesa no jardim ou na varanda e saborear uma deliciosa refeição ao ar livre. Encher uma mesa de boa comida, um bom vinho a acompanhar, juntar a família e apreciar o momento. As refeições que nos levavam a ligar o forno ou a colocar o tacho ao lume, são agora substituídas por outras mais leves e ligeiras. As saladas e os grelhados começam a ter agora um lugar privilegiado à mesa. Por aqui são sempre os pratos preferidos desta estação e sempre preparados com ingredientes frescos, saudáveis e sazonais. A simplicidade de misturar algumas folhas verdes com frutos da época, sementes ou frutos secos é algo que me deixa feliz. Legumes crus ou grelhados também são sempre uma boa escolha. A criatividade na cozinha não tem limites e o importante é sentirmo-nos bem com aquilo que escolhemos comer. 


E se apetecem pratos mais leves e frescos, o mesmo acontece com as sobremesas. Nesta altura são as tartes de fruta, os semifrios e os cheesecakes que conquistam os nossos paladares. Assim como os gelados e os pudins. Foi a pensar numa dessas refeições ao ar livre, num dia de sol, que preparei um delicioso cheesecake para partilhar. Uma mistura equilibrada de sabores tropicais que apetece repetir, fatia atrás de fatia. Nesta receita decidi inovar, fugindo ao tradicional cheesecake com base de bolacha e optei antes por criar uma base mais crocante, preparada com os Corn Flakes Zero% da Nacional. Por não terem qualquer tipo de açúcares adicionados, juntei aos cereais um fio de mel para adoçar. O resultado é surpreendente e vale mesmo apena experimentar.

Para além dos cereais Corn Flakes Zero%, a Nacional apresenta uma vasta gama de cereais de pequeno almoço, quer para crianças quer para adultos e para todos os gostos. Conheçam todos os produtos no site da marca, onde podem também consultar esta e outras receitas deliciosas que certamente vos irão inspirar.






Cheesecake de Manga e Maracujá

Ingredientes:
{para a base}
| 120 g de manteiga
| 2 c. (sopa) de mel
{para o recheio}
| 200 g de queijo creme
| 250 g de mascarpone
| 80 g de açúcar
| 200 ml de natas com 35%MG                  
| 5 folhas de gelatina
| 250 g de polpa de manga
{para a cobertura}
| 1/2 chávena de polpa de maracujá
| 1 c. (sopa) de amido de milho

Preparação:
1 . Triture os Corn Flakes Zero% da Nacional num processador. Adicione a manteiga e o mel e volte a triturar. Forre o fundo de uma forma de aro amovível com o preparado, pressionando bem com os dedos, a fim de formar uma camada uniforme. Reserve no frigorífico.

2 . Demolhe as folhas de gelatina e reserve. 

3 . Triture a polpa de manga e reserve.

4 . Bata o queijo creme com o mascarpone e o açúcar. Adicione as natas, que devem estar bem frias, e volte a bater.

5 . Escorra as folhas de gelatina e leve-as a derreter ao microondas por breves segundos. Adicione algumas colheradas de polpa de manga à gelatina derretida e envolva bem. Devolva esta mistura à restante polpa, misture bem e incorpore no preparado de queijo e natas, envolvendo com uma espátula.

6 . Verta o recheio sobre a base de Corn Flakes e alise a superfície com uma espátula. Leve o cheesecake ao frigorífico durante pelo menos 4 horas ou, idealmente, de um dia para o outro.

7 . Prepare a cobertura, levando um tacho ao lume com a polpa de maracujá e o amido. Mexa com uma vara de arames até levantar fervura. Nesse momento retire o tacho do lume e deixe arrefecer completamente.

8 . Desenforme o cheesecake e cubra-o com a polpa de maracujá. Decore a gosto com fruta e reserve no frigorífico até à hora de servir.





Tarte Frangipane de Ruibarbo


Quem me conhece ou segue o meu trabalho sabe que eu sou fã assumido de ruibarbo. Sempre que o encontro à venda não resisto a comprar e a repetir ou experimentar novas receitas com ele. Não é, infelizmente, muito conhecido por cá e sempre que publico uma receita nova recebo imensas questões a perguntar onde se pode encontrar, qual é o seu sabor e para que serve. Pois bem, encontrar ruibarbo não é de todo uma tarefa fácil. Eu já cheguei a comprar online numa quinta no norte do país, já comprei também em alguns supermercados comuns (sendo mais difícil de encontrar e quase que temos de vender um rim para o comprar) e também já encontrei no Mercado da Ribeira, em Lisboa. Há cerca de três anos tive a sorte de encontrar uma senhora que me enviou uma grande quantidade e nesse ano pude fazer umas quantas receitas. Mas o ideal é procurarem mesmo em mercados biológicos e de rua. Este ano acabei por comprar na Horta do Bairro, em Lisboa. Para quem não tem disponibilidade para ir à loja, pode encomendar online e eles enviam para todo o país. A qualidade é excelente e o ruibarbo é fresco e vermelhinho como se quer. 


Muitas vezes existe a dúvida se o ruibarbo é um fruto ou um legume, uma vez que a planta apresenta umas folhas largas e verdes. Pois bem, é mesmo um legume. Mas as folhas, por serem venenosas, não poderão ser consumidas. Apenas os talos servem para consumo e, neste caso, são utilizados como se de um fruto se tratasse. O sabor é ácido, mas fica delicioso depois de cozinhado e combinado com outros frutos. É óptimo em tartes e bolos mas a sua utilização não se limita apenas às sobremesas. Pode ser usado para fazer xaropes, para aromatizar águas ou mesmo em receitas salgadas, como acompanhamento de alguns pratos ou na forma de chutney. Eu confesso que é nas sobremesas que mais gosto de o saborear.

A receita de hoje é uma tarte frangipane, cuja base e recheio funcionam na perfeição com o ruibarbo mas também com outros frutos. Eu diria que é uma tarte perfeita em termos de sabor e textura. Apesar de perder aquele padrão vibrante que as cores do ruibarbo apresentam, depois de ir ao forno, o sabor é qualquer coisa de divinal. A acidez do ruibarbo combina perfeitamente bem com o recheio de amêndoa. É uma tarte perfeita para saborear num dia quente de verão, acompanhada de uma bola de gelado, claro. Não deixem de experimentar!






Tarte Frangipane de Ruibarbo

Ingredientes:
{para a base}
| 180 g de farinha s/ fermento
| 1 pitada de sal
| 1 c. (sopa) de açúcar amarelo
| 110 g de manteiga fria
| 2 c. (sopa) de água fria
{para o recheio e cobertura}
| 125 g de açúcar amarelo
| 125 g de manteiga à temp. ambiente
| 1 ovo + 1 gema
| 125 g de amêndoa moída
| raspa de 1 limão
| 3 talos de ruibarbo
| maple syrup (ou agáve)
| açúcar mascavado para polvilhar

Preparação:
1 . Num robot de cozinha coloque os ingredientes secos e a manteiga fria em cubos. Aos poucos vá adicionando a água enquanto dá uns toques de turbo até obter uma massa homogénea e moldável (em alternativa pode amassar à mão). Forme uma bola, envolva em película aderente e leve ao frigorífico durante 30 minutos.

2 . Estenda a massa com o rolo e forre com ela uma carteira de fundo amovível com cerca de 24 cm. Leve ao frigorífico deixando a massa descansar por mais 1 hora.

3 . Pré-aqueça o forno a 180ºC. Forre a massa da tarte com papel de alumínio e cubra com leguminosas secas (isto evitará que a massa fresca e os bordos da tarte colapsem). Leve ao forno por 18-20 minutos.

4 . Entretanto prepare o recheio. Bata a manteiga com o açúcar durante 5 minutos. Adicione o ovo e a gema e bata por mais 2 minutos.

5 . Adicione a raspa de limão e a amêndoa moída e envolva com uma espátula, até estar bem incorporado. Verta o preparado sobre a base da tarte e alise bem a superfície com uma espátula.

6 . Corte os talos do ruibarbo em pedaços iguais e distribua-os sobre a massa, formando um padrão geométrico. Pincele com maple syrup ou agáve e polvilhe com açúcar mascavado.

7 . Leve a tarte ao forno, pré-aquecido a 180ºC, durante 50 minutos ou até a tarte começar a ficar  bem dourada. 

8 . Retire a tarte do forno, desenforme e deixe arrefecer sobre uma grelha. Pode servir ainda ainda morna, acompanhada de uma bola de gelado.