Sopa de Abóbora, Gengibre e Coco


Impressão minha ou este mês de Janeiro está demasiado frio?! Bem sei que estamos no Inverno e que é normal as temperaturas baixarem nesta altura do ano, mas a verdade é que eu não aguento. Não sou de todo pessoa de tempo frio, mas tento, obviamente, tirar partido das coisas boas que esta estação proporciona. Entre elas está o conforto e também a vantagem de podermos usufruir mais das nossas casas - agora mais ainda, com um novo e, esperemos que curto confinamento - e também podermos degustar mais refeições de conforto, daquelas que nos alimentam o corpo e saciam a alma. 

Entre estas refeições estão as sopas, sempre presentes aqui em casa, independentemente da estação do ano. Mas é nesta altura que elas me sabem melhor. E ultimamente tenho tentado comer todas as sopas e mais algumas. Umas mais cremosas que outras, umas mais simples outras mais ricas e elaboradas, mas nada me dá mais prazer que segurar uma taça de sopa bem quentinha a fumegar, entre as mãos, nestes dias frios de Janeiro. Adoro experimentar receitas novas e ultimamente são os ramens e as sopas com especiarias que mais apetecem. Porque aquecem, saciam e sabem mesmo bem.

Adoro sopa de abóbora assada. Já partilhei aqui esta sopa de abóbora assada e especiarias. Mas desde que experimentei esta que partilho hoje, da autoria da minha amiga Inês, que passou a ser das favoritas cá em casa. Adoro a combinação da abóbora com o coco e o ligeiro picante do gengibre, uma sopa que conforta e que é perfeita para ser consumida em qualquer dia frio de Inverno. Sopas e chás bem quentes, são os meus melhores amigos ultimamente. E vocês, como fazem para combater estes dias frios de Inverno?!




Sopa de Abóbora, Gengibre e Coco
(receita adaptada do blog Ananás e Hortelã)

Ingredientes:
| 1 Kg de abóbora 
| 50 g de gengibre fresco
| 200 ml de leite de coco
| 250-400 ml de água quente ou caldo de legumes
| sal e pimenta qb
| azeite qb
| tomilho seco qb
| sementes de abóbora tostadas qb
| sementes de sésamo qb
| sementes de papoila qb

Preparação:
1 . Pré-aqueça o forno a 180ºC e forre um tabuleiro com papel vegetal.

2 . Descasque e corte a abóbora em pedaços pequenos, de igual tamanho. Coloque a abóbora no tabuleiro, regue com um fio de azeite e salpique com um pouco de sal, pimenta e tomilho.

3 . Leve a abóbora a assar no forno, cerca de 30 minutos, o tempo suficiente para que comece a caramelizar.

4 . Coloque a abóbora, o gengibre em pedaços, o leite de coco (reserve 3-4 c. sopa para servir) e a água ou caldo de legumes (adicione uma pequena quantidade e adicione mais de seguida, caso queira a sopa mais líquida ou mais cremosa) num processador de alimentos e processe até obter um creme bastante homogéneo. Prove e rectifique os temperos, se necessário.

5 . Sirva a sopa com um fio do leite de coco e as sementes a gosto (pode usar também azeite e coentros frescos).




Kugelhopf


O calendário não dá tréguas e cá estamos para dar inicio a um novo ano cheio de deliciosas partilhas. Espero que as vossas festividades tenham corrido da melhor forma possível, apesar de todas as adversidades. Que tenham aproveitado para descansar e que tenham passado muitos e felizes momentos, de preferência na companhia das vossas pessoas queridas. Desejo a todos um feliz e próspero ano novo, que nos sejam devolvidos os afectos e a liberdade de outrora e que depositemos em todos nós a esperança de construir um mundo sempre melhor.

Hoje celebra-se o Dia de Reis e como manda a tradição, por aqui dão-se por encerradas as festividades. É chegada a altura de desmontar a árvore de Natal, de voltar a colocar todas as decorações natalícias nas caixas de cartão, que regressarão ao sótão até à próxima quadra. Voltamos à vida normal e sem qualquer tipo de resolução. Não sou pessoa de resoluções, prefiro ir vivendo o dia-a-dia, enfrentando os desafios que a vida me coloca e tirando partido dos melhores momentos, construindo memórias felizes. E estarei sempre grato pelas pessoas boas que a vida me vai apresentando e pelas pequenas conquistas que vou conseguindo. 

Para primeira receita do ano escolhi algo alusivo ainda a esta quadra. Como já anda por aqui um Bolo Rei de Alfarroba, um Bolo Rei sem Glúten e até o famoso bolo rei alemão, o Stollen e também um Bolo Rainha, como já partilhei por aqui a famosa Galette des Rois, na versão original e esta com chocolate e avelã ou esta de pistácio e framboesa, hoje decidi partilhar o Kugelhopf


Também conhecido por Gugelhupf, Kouglof ou Guglhupf, este é um pão doce muito comum na Áustria, sudeste da Alemanha e na região da Alsácia, na França. A massa é tipo brioche, não muito doce e enriquecida com passas de uva e amêndoas. É feito numa forma de buraco, originalmente em cerâmica e, segundo reza a lenda, o seu formato assemelha-se aos turbantes usados pelos reis magos que, aquando do seu caminho para Belém, passaram pela cidade de Ribeauvillé, na Alsácia, e aí foram homenageados pelos seus habitantes com este delicioso pão doce e amanteigado.

Existem várias receitas, com mais ou menos manteiga, mais ou menos doces, mas todas muito semelhantes. Optei por experimentar a receita que encontrei no site MyKaramelli que, na minha opinião, resulta num pão delicioso e óptimo para servir ao pequeno almoço. Costumo cortar em fatias que coloco na torradeira ou na tostadeira, servindo-as barradas com manteiga. É também perfeito para servir num lanche a acompanhar uma chávena de chá, o ideal nestes dias mais frios. Pode ser usada qualquer forma, desde que tenha um buraco no centro. Eu usei a original Kugelhopf da Nordic Ware, que podem sempre adquirir na Lecuine



Kugelhopf
(receita adaptada do site myKaramelli)

Ingredientes:
| 300 g de farinha s/ fermento
| 15 g de fermento de padeiro fresco
| 140 ml de leite morno
| 2 ovos M 
| 60 g de açúcar amarelo                                                       
| 125 de manteiga à temp. ambiente                                     
| ½ c. (chá) de sal
| 75 g de passas
| 100 ml de rum (usei vinho do Porto)                                        
| 12 amêndoas s/ pele
| açúcar em pó qb

Preparação:
1 . Comece por preparar um pré-fermento. Para isso dissolva o fermento de padeiro no leite morno e adicione 5 c. (sopa) da farinha (o leite deverá estar morno, a uma temperatura aproximada de 37-38ºC, se superior a isso poderá matar o fermento). Misture, tape com película aderente e deixe levedar cerca de 1 hora à temperatura ambiente. 

2 . Coloque as passas numa taça e cubra-as com o rum, deixando que elas hidratem.

3 . Na taça da batedeira coloque a restante farinha, o açúcar, o sal, os ovos e o pré-fermento. Amasse a uma velocidade média, usando o gancho de amassar até obter uma massa homogénea e pegajosa.

4 . Adicione as passas escorridas e amasse a uma velocidade baixa apenas para envolver.

5 . Aos poucos vá adicionando a manteiga em pedaços e amasse a uma velocidade média-alta durante 10-15 minutos (aos poucos a massa vai-se tornando lisa e elástica e despegar-se-á das paredes da taça).

6 . Tape a taça com película aderente e deixe levedar à temperatura ambiente durante 3 horas ou até que duplique de volume (em alternativa, poderá deixar a massa a levedar no frigorífico de um dia para o outro).

7 . Unte bem com manteiga derretida uma forma de buraco (usei a Kugelhopf da Nordic Ware) e no fundo da forma disponha as amêndoas.

8 . Transfira a massa para uma superfície ligeiramente enfarinhada. Sem amassar forme uma bola e faça um buraco no centro, formando um aro. Transfira a massa para a forma e se necessário nivele com os dedos. Tape a forma com um pano e deixe a massa levedar 2 horas ou até que duplique de volume.

9 . Pré-aqueça o forno a 180ºC. Coloque a forma no forno e deixe cozinhar durante 35-40 minutos. Caso a massa comece a cozer demasiado à superfície, tape com papel de alumínio.

10 . Retire o bolo do forno e deixe arrefecer na forma durante 10 minutos, antes de desenformar. Desenforme e deixe arrefecer sobre uma grelha. Sirva o Kugelhopf polvilhado com açúcar em pó.




Sonhos de Alfarroba


Se em situações normais o Natal é para mim um misto de sentimentos e emoções, este ano será ainda mais. O facto de não poder estar reunido com a família à volta da mesa, de não poder abraçar e beijar os meus mais queridos, aqueles que vejo duas ou, calhando a sorte, três vezes por ano, deixa-me um pouco triste. Os meus irmãos e cunhados, os meus sobrinhos e até a minha sobrinha-neta que veio ao mundo a meio da pandemia e ainda não tive o prazer de conhecer. Mas fica a esperança, de um mundo e de um futuro melhores, com todos os abraços, os beijos e os afectos que nos tiraram, que nos fazem falta e que tanto merecemos. Enquanto esses dias não chegam, vamos celebrar o Natal, com os que nos são próximos e com quem coabitamos. Por aqui não deixarei de fazer as sobremesas que adoro, o cheiro da canela continuará no ar a perfumar a casa, haverá o tradicional bolo rei, o arroz doce de sempre e que nunca pode faltar e claro, os sonhos de abóbora. Sou tão feliz a fazer sonhos, a cobri-los de açúcar e canela, não resistindo a provar um e outro ainda quentinhos.


Este ano experimentei uma receita de sonhos diferente e igualmente deliciosa. Claro que tinha de vir partilhar esta receita convosco, ainda a tempo de a prepararem para o Natal. Para quem aprecia o sabor da alfarroba, posso garantir que estes sonhos são irresistíveis. Eu próprio não consigo para de os comer, uns atrás dos outros. Mas vou confessar-vos uma coisa, gosto mais deles no dia seguinte. Sou esse tipo de pessoa que prefere os sonhos frios e mergulhados na calda do açúcar já derretido. Mas quentes também são deliciosos. O melhor mesmo será experimentarem a receita e prová-los das duas formas, tirando as teimas.

Nesta receita usei a Farinha de Trigo e Alfarroba da Nacional, a marca de confiança com quem trabalho e que dispensa apresentações. Esta farinha, que combina a vagem da alfarroba e a espiga do trigo, tem um sabor único e característico e foi desenvolvida para todos os usos culinários. Já vem misturada nas proporções certas e podemos fazer com ela um pão delicioso, mas também bolos, tartes, bolachas e biscoitos, panquecas ou estes deliciosos sonhos. Sonhos estes que podem ainda preparar e apresentar na vossa mesa de Natal!  

A todos vocês que me lêem, os meus sinceros votos de umas Festas Felizes, dentro do possível e de preferência junto daqueles que vos são mais próximos e queridos. Que seja uma quadra de paz e reflexão, que reine o amor e a partilha e que resida em todos nós a esperança de um mundo muito melhor. Feliz Natal!






Sonhos de Alfarroba

Ingredientes:
| 1 c. (chá) de fermento em pó
| 250 ml de água
| 50 g de manteiga
| 2 casquinhas de limão
| 1 pitada de sal                                   
| 4 ovos
| açúcar qb
| canela em pó qb
| óleo para fritar

Preparação:
1 . Misture a Farinha de Trigo e Alfarroba da Nacional com o fermento e reserve.

2 . Numa panela junte a água, a manteiga, as cascas de limão e o sal. Leve ao lume e quando levantar fervura deixe cozinhar 2 minutos.

3 . Retire a panela do lume, descarte as cascas de limão e, de uma só vez, adicione a farinha. Mexa energicamente com uma colher de pau até a massa formar uma bola e descolar das paredes do tacho. Retire a massa para uma tigela e deixe que arrefeça.

4 . Quando a massa já estiver fria, adicione os ovos, um de cada vez e amasse com as mãos ou usando uma vara de arames até obter uma massa cremosa e uniforme.

5 . Aqueça o óleo em lume médio e com uma colher de sopa, verta pequenas quantidades de massa no óleo. Frite os sonhos, virando-os até ficarem dourados. De seguida passe os sonhos por uma mistura de açúcar e canela e sirva-os ainda mornos.






Bolo de Chocolate - Dicas Para Um Bolo de Chocolate Perfeito


A menos de uma semana do Natal, por aqui preparam-se os presentes de última hora. São os presentes de comer, aqueles que mais gosto de fazer e embrulhar e que mais prazer me dão oferecer. As compotas já estão prontas nos frascos, faltam apenas os laços e as etiquetas bonitas. Do forno saem tabuleiros de bolachas, prontas a distribuir por saquinhos e também elas para oferecer. De chocolate, baunilha e de especiarias e o melhor disto tudo ainda é o cheiro que se espalha pela casa após cada fornada. Ficam a faltar o arroz doce e também os sonhos, esses que serão feitos mais perto da noite mágica. Este ano testei uma receita diferente que espero ainda conseguir partilhar aqui. É um Natal sem pressas, mais calmo e longe das correrias e da azáfama de anos anteriores. Este ano não será um Natal em família, não haverão os abraços, os afectos e as longas conversas à lareira. Este ano tudo é diferente, mas pelo menos à mesa, não podemos deixar de celebrar esta quadra festiva.


Chocolate, quem consegue resistir a este ingrediente sedutor?! Eu não e mesmo na minha mesa de Natal tem de haver sempre uma sobremesa com chocolate. Seja um bolo simples, mas decorado a rigor, uma mousse de chocolate ou o tradicional tronco de Natal de chocolate. A receita que vos trago hoje não é propriamente natalícia, mas é um bolo que serve para qualquer ocasião, incluindo o Natal. Basta para isso decorá-lo a rigor com uma cobertura branca, de coco ou mascarpone, e uns frutos vermelhos a contrastar com umas folhinhas verdes. 

Este é para mim um dos melhores bolos de chocolate, daqueles bolos que se aproximam da perfeição e que nos levam a querer repetir, fatia atrás de fatia. Quem ama chocolate vai com certeza adorar este bolo. Nem sempre é fácil conseguir o bolo de chocolate perfeito, aquele que é unânime em termos de sabor e textura e que agrada a toda a gente. Mas para vos ajudar nesta tarefa, em colaboração com o site Alegro, escrevi o artigo "Dicas básicas para um bolo de chocolate perfeito", no qual apresento 10 dicas essenciais que, se forem seguidas à risca, vos ajudam e muito a conseguir um bolo de chocolate inesquecível. Podem ler o artigo na íntegra aqui, onde consta também a receita do bolo. E já agora, caso venham a experimentar esta receita, partilhem comigo o resultado, vou adorar ver as vossas recriações. Votos de umas Festas Felizes para todos!



(artigo escrito em colaboração com o site Alegro)

DICAS PARA UM BOLO DE CHOCOLATE PERFEITO

O acto de fazer um bolo é algo que muitos de nós guardamos nas nossas memórias de infância. Quem nunca esperou ansiosamente pelo momento de rapar e lamber a massa crua da taça onde a mãe ou a avó acabara de preparar um bolo?! Arrisco até a dizer que foi das primeiras receitas que experimentámos e que o ingrediente mais vezes usado foi o chocolate. Quem não gosta de um bom bolo de chocolate?!

Preparar uma receita de bolo de chocolate a partir do zero, usando ingredientes tão simples como ovos, farinha e açúcar tem algo de mágico. Misturar os ingredientes e ver a massa a formar-se antes de ir ao forno é algo que nos deixa entusiasmados. Mas nem sempre o resultado vai de encontro às nossas expectativas e para obter aquele bolo de chocolate lindo, fofo e delicioso que todos irão devorar, será necessário, não só seguir à risca uma receita de confiança, mas também entender alguns factores fundamentais que irão influenciar o resultado final. Quem nunca ficou desiludido ao desenformar um bolo de chocolate?! Para que isso não volte a acontecer, enumerei algumas dicas para que o seu bolo de chocolate faça sempre sucesso. 

10 DICAS BÁSICAS PARA UM BOLO DE CHOCOLATE PERFEITO
  1. Para fazer este bolo, garanta que leu bem toda a receita do bolo de chocolate e que tem todos os ingredientes disponíveis em casa.
  2. Use sempre um cacau em pó de boa qualidade. O cacau é a estrela do nosso bolo e é ele que vai dar o sabor intenso a chocolate, por isso é importante ser de boa qualidade. O chocolate em pó deve ser evitado uma vez que tem açúcar adicionado o que pode alterar o resultado final da receita. Se a receita referir o uso de chocolate para culinária em vez de cacau em pó, opte sempre por um chocolate com pelo menos 70% de cacau na sua composição.
  3. Unte bem a forma com manteiga ou (...)
(podem ler o artigo completo aqui)



Receita do Bolo de Chocolate

Ingredientes para o Bolo de Chocolate:
| 150 g de farinha s/ fermento
| 50 g de cacau em pó
| 1½ c. (chá) de fermento em pó
| 1 pitada de sal
| 250 g de açúcar amarelo
| 2 ovos                                                                
| 90 ml de óleo vegetal
| 1 c. (chá) de extrato de baunilha
| 160 ml de buttermilk
| 120 ml de café forte e quente
{recheio e cobertura para o Bolo de Chocolate}
| 400 g de queijo Mascarpone
| 150 ml de natas frescas
| 3 c. (sopa) de cacau em pó
| 3 c. (sopa) de açúcar em pó

Preparação do Melhor Bolo de Chocolate:
1 . Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte com manteiga e forre com papel vegetal duas formas de aro amovível com ∅ 16cm e reserve.

2 . Numa taça misture a farinha, o cacau em pó, o fermento e o sal e reserve.

3 . Coloque o açúcar, o óleo e a baunilha na taça da batedeira e bata alguns minutos. Sem deixar de bater, junte os ovos, um de cada vez. Adicione o buttermilk e bata novamente.

4 . À mistura anterior junte em três vezes a mistura de farinha, alternado com o café e envolvendo bem com uma espátula após cada adição e até obter uma massa lisa e homogénea.

5 . Divida a massa pelas duas formas e leve ao forno durante 30 minutos.

6 . Retire os bolos do forno e deixe arrefecer 10 minutos nas formas. Desenforme e deixe os bolos arrefecerem completamente, sobre uma grelha.

7 . Prepare o recheio e cobertura, colocando o Mascarpone na taça da batedeira, juntamente com as natas. Bata até obter um creme firme. Adicione o cacau em pó e o açúcar em pó e bata a uma velocidade baixa para envolver.

8 . Coloque um dos bolos num prato de servir e cubra com uma parte do creme. Coloque o segundo bolo e cubra com o creme restante, alisando com uma espátula. Decore a gosto e sirva.





Tarte Tatin de Marmelo


Alguém que me explique como é que tão rapidamente chegámos ao último mês deste ano de 2020. Um ano completamente atípico e cheio de desafios que, se por um lado parecia nunca mais ter fim, por outro lado passou mesmo a correr e a prova disso é que entrámos no mês de Dezembro, o último do calendário. Este é um mês especial e com algumas festividades, no qual celebramos o Natal. Apesar de não estarem reunidas as condições para celebrar o Natal em família, como aliás acontece todos os anos, é importante manter viva a tradição, entrar no espírito natalício e celebrar, quanto muito, com aqueles que nos são mais próximos. Por aqui já ando a pensar em algumas receitas natalícias que quero muito partilhar convosco. Mas não me queria despedir do Outono sem antes partilhar aqui a receita desta tarte tatin que é divinal e preparada com um dos meus frutos preferidos da estação.


Adoro marmelos desde que me lembro, assim como tudo o que se pode fazer com eles. Guardo na memória imensas recordações felizes à volta deste fruto de Outono. Junto à casa dos meus pais, no acesso ao quintal, existiram durante muitos anos alguns marmeleiros, plantados ainda pelo meu avô. Quando chegava o Outono e eles ficavam prontos para colher, o cheiro que se espalhava no ar era inconfundível. Da cozinha saíam inúmeras taças de marmelada feitas pela minha mãe e alguns frascos de geleia, que íamos saboreando ao longo do ano. E sempre que ela acendia o forno de lenha para fazer pão ou para fazer assados, no final, e por forma a aproveitar o calor do forno, colocava sempre um tabuleiro com alguns marmelos mergulhados em água, açúcar e canela. Sabiam maravilhosamente bem, assados e com aquela crosta caramelizada que se formava com o calor do forno e eu, claro, deliciava-me a comê-los.

Mas passemos a esta receita em concreto, vocês não vão acreditar, mas esta é a minha primeira tarte tatin. Isso mesmo, um grande 'shame on me' por nunca ter experimentado antes esta maravilha, com origem na cozinha francesa e que foi criada acidentalmente. A mais tradicional é a de maçã mas a tarte tatin pode ser preparada com qualquer tipo de fruta. Queria mesmo muito experimentar a tarte tatin de marmelo, desde que a Patrícia partilhou a sua no Coco e Baunilha. Não posso deixar de dizer que me inspirei na receita dela, apesar de a minha versão ser completamente diferente, feita com o que tinha em casa e com massa folhada de compra, o que torna a receita ainda mais fácil e tentadora. Numa única palavra, DIVINAL é como eu descrevo esta tarte que aconselho vivamente a ser servida com uma generosa bola de gelado de baunilha.






Tarte Tatin de Marmelo

Ingredientes:
| 1 base redonda de massa folhada (usei de compra)
| 6-8 marmelos
| 650 ml de água
| 150 ml de sumo de laranja
| 200 g + 100 g de açúcar amarelo
| 1 pau de canela
| 1 c. (café) de canela em pó
| 4 estrelas de anis
| 1 c. (chá) de extrato de baunilha
| 50 g de manteiga 

Preparação:
1 . Lave e descasque os marmelos, retire-lhes os caroços e corte-os em metades ou quartos. 

2 . Leve um tacho ao lume com os marmelos, cubra com a água, o sumo de laranja, 200 g de açúcar amarelo, o pau de canela, a canela em pó, as estrelas de anis e o extrato de baunilha. Deixe levantar fervura e cozinhe por 20 minutos, o tempo suficiente para que os marmelos fiquem tenros.

3 . Leve ao lume uma frigideira de ferro ou uma caçarola de ferro com 24-26 cm (é importante que seja uma frigideira que possa ir posteriormente ao forno). Coloque nela 150 ml da calda da cozedura dos marmelos, adicione 100 g de açúcar amarelo e a manteiga. Deixe que a manteiga e o açúcar derretam e deixe cozinhar, reduzindo um pouco e até formar um caramelo.

4 . Disponha os quartos de marmelo na frigideira, voltados com a parte do caroço para cima e deixe cozinhar cerca de 5 minutos em lume baixo.

5 . Desligue o lume e cubra os marmelos com a massa folhada. Com as mãos acondicione bem a massa contra os marmelos e em toda a volta. Faça alguns furos na massa usando um garfo.

6 . Leve a tarte ao forno pré-aquecido a 200ºC, durante 15 minutos ou até a massa ficar bem dourada.

7 . Retire a tarte do forno e enquanto está ainda quente vire-a para um prato de servir.

8 . Sirva a tarte morna, simples ou acompanhada de gelado de baunilha.