Folar de Chocolate


Páscoa! Para mim é sinónimo de afectos e muitas memórias. Memórias boas em família, de boa comida e de bons momentos passados na cozinha. Sendo eu oriundo de uma família cristã, a Páscoa sempre teve muito significado e sempre foi vivida com intensidade. A preparação para celebrar esta quadra começava com alguns dias de antecedência e passava por ir ao moleiro comprar aquela que era a melhor e mais branca farinha de trigo para fazer os folares. Na sexta-feira santa, o feriado começava muito cedo. Ainda o sol não havia nascido e já a minha mãe se encontrava na cozinha, rodeada de farinha a amassar os folares. Tinha mesmo que ser cedo, para que houvesse tempo suficiente para levedarem e mais tarde irem ao forno. Enquanto isso, coziam-se os ovos que haveriam de ser usados nos bolos. A água quente borbulhava dentro de um tacho com cascas de cebola. Era um truque para que os ovos ficassem mais escuros. De seguida enchia-se o forno de lenha, deixando que queimasse lentamente e atingisse uma temperatura bem alta. Levedada a massa dos folares, era chegada a hora de os moldar. Nunca era feita uma fornada, no mínimo duas ou três. Imensas bolas de vários tamanhos, perfiladas na mesa da cozinha. No ar sentia-se o perfume da erva doce e da laranja.

Momentos felizes aqueles que se viviam na cozinha lá de casa. Eu ajudava a minha mãe a colocar os ovos nos bolos, os maiores levavam dois ovos e os mais pequenos apenas um. Aproveitávamos os restos de massa e sobre cada ovo colocávamos dois fios de massa em forma de cruz. De seguida pincelavam-se os folares com ovo batido e deixavam-se novamente levedar. Entre uma e outra amêndoa que eu ia mordiscando, esperava ansioso pelo momento de ver os bolos já dourados a sair do forno. O cheiro a bolo folar acabado de cozer num forno de lenha é algo que não me sairá nunca da memória. E como eu delirava com esses momentos! Adorava provar o folar ainda quente, apesar dos avisos que me poderia fazer mal, mas eu gostava mesmo de cortar uma fatia ainda a fumegar que barrava com manteiga ou compota. Eram momentos de puro prazer. Nova fornada se seguia, até terminar todos os bolos. E depois o calor do forno era ainda aproveitado para fazer um assado, cuja carne já se encontrava a marinar de véspera e que iria servir para o jantar. O cabrito ou o borrego faziam parte da ementa e era também a altura de experimentar as batatas novas que acabavam de chegar.
No domingo de Páscoa acordávamos cedo, eu e a minha mãe, para irmos à missa. E depois era chegada a hora do almoço, momento em que toda a família se reunia à mesa. Conversava-se e saboreava-se a melhor carne, aquela que antes teria sido "proibida" de comer todas as sextas feiras como forma de jejum. Durante a tarde, eu ia visitar os meus padrinhos. Era comum haver uma troca de presentes entre padrinhos e afilhados. Eu por norma oferecia sempre um bolo folar aos meus padrinhos. Em troca recebia sempre dinheiro e um ou vários pacotes de amêndoas, línguas de gato ou beijinhos (pequenos suspiros). E era uma criança muito feliz que construía pequenas, mas valiosas memórias com todos estes momentos que, por circunstâncias várias, hoje não são mais vividos.

A Páscoa este ano celebra-se mais cedo e sendo hoje dia 1, é dia de mais uma edição do grupo Dia Um... Na Cozinha! Para esta edição o tema escolhido é, pois então os folares. Todos os anos por esta altura me aventuro a fazer um ou mais folares. Poderia ter trazido a receita que a minha mãe fazia, mas a verdade é que eu nunca a fiz, pois tenho perfeita noção que nunca iria ficar igual, o resultado nunca seria o mesmo. Restam-me as memórias daqueles momentos felizes! Optei por trazer um folar diferente, mais guloso, com o chocolate que tanto adoro. Um folar de textura bem fofa e muito leve.


Folar de Chocolate
(receita adaptada da revista Mulher moderna na Cozinha, Especial Pão, nº77)

Ingredientes:
{para a massa}
| 1 saqueta (11 g) de fermento de padeiro seco (usei Condi)
| 2,5 dl de leite
| 600 g de farinha s/ fermento
| 100 g de açúcar
| 100 g de margarina c/ sabor a manteiga (usei Vaqueiro)
| 3 ovos
| 1 c. (chá) de erva-doce, moída
{para o recheio}
| 1 ovo + 1 ovo cozido
| 50 g de margarina c/ sabor a manteiga, derretida (usei Vaqueiro)
| 300 g de chocolate negro p/ culinária, grosseiramente picado (usei Pantagruel)
| açúcar demerara q.b.
| pepitas de açúcar q.b.

Preparação Tradicional:
Dissolva o fermento em 0,5 dl de elite morno, junte 100 g de farinha e amasse, formando uma bola de massa.
Adicione a restante farinha, o açúcar, a margarina, os ovos, a erva-doce e amasse.
Acrescente aos poucos o restante leite e amasse até obter uma massa lisa e homogénea. Se achar necessário, acrescente mais farinha ou mais leite, conforme a massa estiver mais ou menos seca.
Tape com um pano e deixe levedar durante 1 hora, em local quente e resguardado de correntes de ar.
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Polvilhe um tabuleiro com farinha, ou em alternativa, forre com papel vegetal.
Divida a massa em duas partes iguais (eu fiz com a massa, dois bolos folares).
De uma das partes retire 1/3 de massa, forme uma bola com a restante massa e reserve.
Com o rolo estenda a bola mais pequena de massa, formando um rectângulo com aprox. 20cm x 30cm.
Pincele a massa com margarina derretida, polvilhe generosamente com açúcar demerara e também com 100g de chocolate negro, grosseiramente picado.
Enrole a partir da extremidade mais longa e forme um rolo. Corte rolinhos com cerca de 1cm de espessura e disponha-os à volta da bola de massa reservada.
No centro da bola coloque um ovo cozido e faça uma ligeira pressão. Deixe levedar cerca de 30 minutos.
Passado esse tempo pincele todo o bolo com ovo batido e polvilhe com pepitas de açúcar.
Para o segundo bolo, forre com papel vegetal uma forma de aro amovível, com 20cm de diâmetro.
Estenda a segunda parte da massa com o rolo, formando um rectângulo com cerca de 30cm x 50cm.
Pincele a massa com margarina derretida, polvilhe generosamente com açúcar demerara e com as restantes 200 g de chocolate, grosseiramente picado.
Enrole a partir da extremidade mais longa e forme um rolo. Corte rolinhos com cerca de 5cm de espessura e disponha-os de pé, dentro da forma.
Polvilhe com açúcar demerara e deixe levedar 30 minutos.
Leve os bolos ao forno pré-aquecido, cerca de 30 minutos. Faça o teste do palito antes de retirar do forno.

Preparação Thermomix - Bimby:
Coloque o leite no copo juntamente com o fermento e programe (2min/37ºC/vel2).
Junte a farinha, o açúcar, a margarina em pedaços, os ovos, a erva-doce e programe (2min/vel Espiga). Se achar necessário, acrescente mais farinha ou mais leite, conforme a massa estiver mais ou menos seca.
Tape com um pano e deixe levedar durante 1 hora, em local quente e resguardado de correntes de ar.
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Polvilhe um tabuleiro com farinha, ou em alternativa, forre com papel vegetal.
Divida a massa em duas partes iguais (eu fiz com a massa dois bolos folares).
De uma das partes retire 1/3 de massa, forme uma bola com a restante massa e reserve.
Com o rolo estenda a bola mais pequena de massa, formando um rectângulo com aprox. 20cm x 30cm.
Pincele a massa com margarina derretida, polvilhe generosamente com açúcar demerara e também com 100g de chocolate negro, grosseiramente picado.
Enrole a partir da extremidade mais longa e forme um rolo. Corte rolinhos com cerca de 1cm de espessura e disponha os rolos à volta da bola de massa reservada.
No centro da bola coloque um ovo cozido e faça uma ligeira pressão. Deixe levedar cerca de 30 minutos.
Passado esse tempo pincele todo o bolo com ovo batido e polvilhe com pepitas de açúcar.
Para o segundo bolo, forre com papel vegetal uma forma de aro amovível, com 20cm de diâmetro.
Estenda a segunda parte da massa com o rolo, formando um rectângulo com cerca de 30cm x 50cm.
Pincele a massa com margarina derretida, polvilhe generosamente com açúcar demerara e com as restantes 200 g de chocolate, grosseiramente picado.
Enrole a partir da extremidade mais longa e forme um rolo. Corte rolinhos com cerca de 5cm de espessura e disponha-os de pé, dentro da forma.
Polvilhe com açúcar demerara e deixe levedar 30 minutos.
Leve os bolos ao forno pré-aquecido, cerca de 30 minutos. Faça o teste do palito antes de retirar do forno.

36 comentários:

  1. Lindo e maravilhoso como sempre!
    Uma boa Páscoa!
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Célio ficou perfeito o teu folar, lindo lindo.

    E as nossas histórias de infância, fomos tão sortudos, adorei a tua história...beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Célio usou erva doce de que marca? excelente aspeto.... o que é açúcar demerara?

    ResponderEliminar
  5. Esse folar de chocolate ficou com um aspecto bem guloso.

    Beijinhos,
    Clarinha
    http://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2015/04/dia-um-na-cozinha-folar-de-farinha-de.html

    ResponderEliminar
  6. Vou levar essa fatia de folar, fiquei com água na boca
    Realmente quem tem recordações destas é um sortudo, o que tu descreveste com a tua mãe, eu lembro-me da minha avó, pois era na casa ela que se fazia os folares :-D
    Bjokas

    ResponderEliminar
  7. Uau que lindo! Bela receita!

    http://deaprendizachef.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Sempre supreendente! FIcou mesmo bonito, Célio! :)

    www.chamavalheumfigo.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar
  9. A Páscoa também me traz dessas recordações, e tão boas que são! Também me lembro de ajudar a minha mãe com os folares. Se bem que às vezes em vez de ajudar eu fazia umas maldades... Cheguei a fazer furinhos com os dedos nos folares mais bonitos (já cozidos) que a minha mãe tinha de parte para oferecer! Eu levava cada tareia! Mas mesmo assim não me emendava, na Páscoa seguinte lá estava eu para repetir a proeza inventando sempre algo novo! Folar sabe-me a casa, sabe-me a família, sabe-me a tradição e também me sabe a todas as celebrações religiosas próprias deste tempo.

    ResponderEliminar
  10. Esqueci-me de dizer que esses teus folares ficaram absolutamente maravilhosos!

    ResponderEliminar
  11. Estou deslumbrada a olhar para ele....maravilhoso

    um beijinho Célio e uma Santa e Feliz Páscoa para ti e família!!

    ResponderEliminar
  12. Olá Célio
    São essas memórias especiais que ficam para sempre. A dos folares não tenho, a minha mãe não os fazia, mas ainda me recordo do ritual, e do aroma, das broas de milho a cozer também no forno de lenha na casa da minha avó paterna. Eram tempos porventura mais difíceis, mais trabalhosos, mas que deixaram memórias felizes na geração das crianças da altura e que perduram até hoje.
    O teu folar está perfeito, como seria de esperar, e com uma cor maravilhosa.
    Beijinhos e boa Páscoa
    Paula

    ResponderEliminar
  13. Gostei de ambos ficaram fantásticos e sendo de chocolate agradam-me e muito
    bjs

    ResponderEliminar
  14. Nunca gostei de folar. NO entanto, a olhar estas fotos, até apetece provar uma fatia - apesar da erva doce!! Mão me canso de vir aqui só olhar as fotos, de uma beleza estonteante, é sempre fonte de inspiração para mim, adoro!
    http://bloglairdutemps.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  15. Eu ainda sou do tempo ( hehee) em que o padre entrava com a comitiva nas casas para as benzer, beijávamos os pés de Cristo na cruz e punhamos flores nos degraus da casa, para o padre saber que ali, naquela casa, queríamos receber Jesus.
    Lembro-me da minha mãe ter um mesa com doces e coisas boas para "petiscarem" ao passar. Afinal andavam o dia todo nisto.
    Era um entusiamo. As portas das casas abertas, aguardando a chegada da cruz. Ficávamos na escada em conversa com os vizinhos numa grande animação. Saudades... muitas saudades desse tempo!
    Folares lindos, meu amigo, cheios de sabor... chocolate é comigo mesmo, né...
    Delicio-me a ver as fotos e imagino-me com um pedaço na boca ;-)
    Beijinhos e uma Páscoa MUITO feliz com quem mais amas.
    C

    ResponderEliminar
  16. Lembro-me de ajudar a minha mãe a fazer folares no forno a lenha...tão bom...!
    Acho que este foi o mais lindo folar que já vi :) e com chocolate só pode ser muito bom!
    Feliz Páscoa! Bjinho

    ResponderEliminar
  17. Estupendo Célio, Seu folar alem de levar chocolate que adoro, encanta aos olhos. Recordações nos faz muito bem, quando pensamos em nossas mães, nossas avós e quando éramos crianças, são a melhor fase da vida que ninguém pode nos tirar. Belíssima participação. Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Olá Célio!
    Quando eu penso que já não me consegues surpreender... surpreendes-me ainda mais ;) Que folares lindíssimos! E com chocolate? Lindos e gulosos, para uma Páscoa mais doce :)
    Beijinho e uma Páscoa Feliz.

    Recanto com Tempero
    http://recantocomtempero.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  19. que bom aspecto!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  20. São tão boas essas memórias, e esse cheirinho a erva doce que pairava no ar!
    Nós por cá ainda temos a tradição da Pascoela, no domingo seguinte ao da Páscoa há nova festa em família e ainda há casas que abrem as portas com caminhos cheios de flores, para receber o padre e com mesa cheia de coisas boas.
    Adoro folar, e este está lindo, com o chocolate! Boa Páscoa, e um beijinho.

    ResponderEliminar
  21. Simplesmente maravilhoso, Célio! Com o chocolate enquadra-se na perfeição na Quadra Festiva que aí vem. Adorei, Célio! Como poderia não adorar?
    Bjs e boa Páscoa!

    ResponderEliminar
  22. Olá Célio,

    São nestas alturas em que as nossas memórias de infância, as recordações e os momentos felizes que vivemos vêm à memória. S minhas recordações são na grande maioria em casa dos meus avós maternos. Era lá que passava as minhas férias, era lá que preparava os folares e que havia o almoço de domingo. Almoço de domingo de Páscoa em familia que ainda continua a ser em casa dos meus avós ao longo destes anos.
    Quanto a este folar, devo dizer-te que gostei imenso. O chocolate que fica bem em qualquer situação até num folar de Páscoa. Combina na perfeição.
    Quanto às fotos, não há nada a acrescentar para além de que estão magnificas (como sempre )

    Beijinho grande e uma Páscoa bem docinha

    Ana

    ResponderEliminar
  23. Que lindas recordações de Páscoa com a família.
    Os folares ficaram lindos. A receita deve ser maravilhosa e não resisto a levar comigo.
    Como sempre vou repetir-me e dizer que as fotos estão lindíssimas. São arte.
    Desejo uma Páscoa feliz
    Um abraço

    ResponderEliminar
  24. Lindos os teus folares o das rosas, e o que colocastes as rosas em redor. Uma ideia fantástica.
    Delicioso, assim como a história que nos trazes.
    Uma Páscoa feliz, bjs.
    Paula

    ResponderEliminar
  25. Esse folar ficou incrível! Lindas fotos e lindo bolo :) Bjinhos e uma Doce Páscoa!

    ResponderEliminar
  26. Vi uma das fotos no insta e fiquei curiosa. És um verdadeiro artista na cozinha Célio, fizeste folares lindos e com chocolate!
    Também tenho essas memórias dos folares feitos num alguidar grande, usavam azeite e muita erva doce e depois era cozido no forno a lenha, lá no Alentejo onde passava férias. E lembro tão bem do aroma que hoje fui procurar erva doce moida, mas não encontrei. Já o resto não vivi, não conheci padrinhos e o meu pai era ateu, mas nada disto impediu a minha felicidade em criança.
    Desejo-te uma Páscoa muito Feliz!

    ResponderEliminar
  27. Oh Célio :)
    Eu sei que já não há uma fatia! Para a próxima envias por correio :)
    Ficaram tão lindos os dois :)
    Um verdadeiro encanto!
    E devem ser tão agradáveis :)
    Também tenho memórias óptimas da Páscoa! E é tão bom ter memórias assim, não é verdade?
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  28. Haha também acho giro pôr cascas de cebola na água, os ovos ficam muito mais bonitos :)
    Nunca fiz folares nem nunca na minha família ninguém fez, e aliás não é costume fazer grande alarido na Páscoa, é mais no Natal. Mas esse está delicioso e faz-me querer experimentar um folar :)

    ResponderEliminar
  29. Amigo,

    As tuas memórias preciosas são também por mim partilhadas em várias passagens... penso que a Páscoa era vivida de forma semelhante de norte a sul do país, com as suas óbvias pequenas variações conforme a região onde nos encontrávamos.
    Mas o amassar dos folares, os preparativos antecedentes ao Domingo de Páscoa, a casquinha de cebola na água :) , a carne a assar em forno de lenha que tinha de estar tão quente até as paredes interiores do forno estarem branquinhas (dica da avó Rosa), todos estes rituais também eu os vivi, também eu os recordo com imensa saudade !
    Tempos que lá vão e não voltam, pois já muitos dos que nos faziam companhia nessas épocas partiram. :(

    Mas, querido Célio, é verdade o que te disse no Facebook, começam a faltar-me palavras para adjectivar de forma digna e como mereces as tuas criações/recriações.
    Porque são extremamente belas as fotos que nos permites contemplar...
    Porque as próprias têm o Poder de nos fazer querer correr para a cozinha por forma a copiar a tua receita...
    Porque tens um talento inesgotável que podemos verificar a cada publicação tua...
    Porque já disse e repito e vou "chatear-te" até conseguir, que deverias dar um workshop de fotografia...
    Porque este folar, com o ingrediente que mais me perturba na vida, está exuberante e foi uma escolha sábia por forma a mostrar como um folar pode ser delicioso, mesmo que não confeccionado com aquilo que muitos consideram ser "o tradicional" !
    Adorei, amigo, estás uma vez mais de parabéns e é um enorme prazer poder contar contigo nos desfiles mensais do "Dia Um..."

    Beijinho grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixa-me só acrescentar algo que esqueci de mencionar: adorei os dois formatos, ambos ficaram super elgantes ! :)

      Eliminar
  30. Olá Célio!
    Não há palavras... apenas me apetece contemplar as tuas fotos maravilhosas, lendo o teu texto calmamente, imaginando o sabor dos teus folares que deve ser simplesmente maravilhoso.
    Adorei! Parabéns :)
    Bjs
    Margarida

    ResponderEliminar
  31. Célio,
    Já fiz algumas observações no cometário do grupo...
    Adorei os dois formatos dos folares, ficaram belos, perfeitos e transparece neles o grande amor que tens pela cozinha.
    Tudo o que te possa dizer é repetir aquilo que sempre te digo cada vez que te visito amigo.. são por demais belas as tuas fotos, as tuas obras de arte, sim porque é disso que se trata.
    Adorei a tua participação como sempre :)
    As minhas recordações da páscoa são um pouco diferente das tuas, nasci num país que embora tenha raízes portuguesas e algumas tradições na altura se mantivessem, outras eram as forma de estar e novos hábitos se adquiriram. Só conheci a visita pascal do padre na altura em que vim para Portugal, mas por pouco tempo porque entretanto também por cá isso mudou nalguns cantos deste país.
    Já vai longa a minha conversa, já comi uma fatia de cada um dos teus folares, vou agora continuar com as minhas visitas às tuas gulodices :)
    Bjns
    Isabel

    ResponderEliminar
  32. Um rega-lo para a vista e tenho a certeza que de sabor também!É por isso que ando sempre à espreita de novas sugestões!Parabéns!

    ResponderEliminar
  33. Olá Célio!
    Que sugestão maravilhosa e de conforto ;)! Também lá em casa sempre nos lembramos nesta altura dos folares dos pais e dos ovos que teimavam em desaparecer para depois serem encontrados...as amêndoas, essas também marcavam sempre presença. Obrigada por mais uma partilha deliciosa! Beijinhos

    ResponderEliminar
  34. Olá Célio!
    Gosto muito de te ler...
    Memórias lindas e saborosas que teimam em permanecer, não poderia ser diferente quando se trata de memórias felizes. Também tenho momentos desses. ;)
    Vim espreitar o teu delicioso folar, está com um aspeto apetitoso, sendo de chocolate, ainda melhor. Talvez o reproduza para esta Páscoa. ;)
    Beijinhos e uma Páscoa muito feliz. :)
    Margarida

    ResponderEliminar