Tarte de Mirtilos e Ruibarbo


Das receitas que me deixam sempre com um sorriso nos lábios. Adoro tartes e bolos com fruta e apesar de me saberem bem o ano inteiro, é nesta altura que me dá mais gozo fazê-las. A fruta amadurece nas árvores, deixando-as bem carregadas e pintalgadas de cor e antes que comece a cair por estar demasiado madura, encontram-se alternativas para escoar a quantidade que este ano parece ter duplicado. Dá gozo ir ao quintal do meu pai ou do meu sogro e ver como os pessegueiros, as pereiras e as ameixoeiras estão carregados de fruta bem doce e saborosa. Para não falar das melancias e das meloas que se vão espalhando pelo chão e que aumentam de tamanho a olhos vistos. Esta estação é rica na variedade de frutos que oferece e para evitar que amadureçam demasiado rápido, os bolos e as tartes são uma boa alternativa para usar a fruta que se acumula.
Na minha varanda tenho um pequeno mirtilo que plantei num vaso há cerca de dois anos. No ano passado cresceu um pouco mas não deu sequer uma flor. Durante o inverno ficou despido de folhas e quase parecia morto, eliminando qualquer réstia de esperança em relação à sua sobrevivência. Mas com a primavera, ele despertou como que acordado de um coma profundo, começou a ficar coberto de viçosas folhas e mais tarde brindou-nos com uma quantidade enorme de pequenas mas sedutoras flores brancas que anunciavam a primavera. Fiquei feliz, pela primeira vez o meu mirtilo iria dar frutos. Talvez eu não tenha cuidado dele da melhor forma, pois as poucos essas flores foram secando, caíram e frutos nem vê-los. Até que um dia, no meio das folhas, descubro uma única e pequena bola verde, um fruto sobrevivente que venceu a força do tempo e vingou por entre a ramagem verde. Um único fruto, um único mirtilo foi tudo o que aquela planta que julguei já estar morta, teve para para me oferecer.


São dos meus frutos preferidos, os vermelhos. E sempre que posso, gosto de os comprar e ter em casa para saborear. Seja numa taça com iogurte e cereais ao pequeno almoço, seja ao natural ou numa deliciosa tarte com massa doce e crocante como esta que aqui apresento. E se aqui as ameixas e os pêssegos poderiam funcionar bem, combinados com o ruibarbo, desta vez foi uma promoção que encontrei de mirtilos que me levou a comprar em maior quantidade e a querer experimentar esta combinação de sabores, cuja receita é da autoria da Megan Voigt que já seguia no Instagram e que é autora do blog Hint of Vanilla. É impossível descrever por palavras o perfume que ficou na minha cozinha enquanto aquele suco de cores vibrantes libertado pelos mirtilos, borbulhava dentro da massa, enquanto esta cozia no forno. Mas mesmo bom é poder saborear uma fatia desta pequena maravilha, ainda morna e acompanhada de uma bola de gelado. Toda a combinação é deliciosa, desde o doce crocante da massa entrelaçada e a acidez adocicada dos frutos perfumados pelo limão. Uma tarte que respira verão e que convida a saborear a estação de sorriso estampado no rosto.


Tarte de Mirtilos e Ruibarbo
 (receita adaptada do blog Hint of Vanilla)

Ingredientes:
{para a massa}
| 300 g de farinha de trigo
| 100 g de farinha de espelta integral
| 2 c. (sopa) de açúcar amarelo
| 1 pitada de sal
| 200 g de margarina fria
| 100 g de água fria

{para o recheio}
| 500 g de mirtilos
| 250 g de ruibarbo
| 1 c. (sopa) de sumo de limão
| 120 g de açúcar mascavado
| 3 c. (sopa) de farinha Maizena
| raspa de 1/2 limão
| 1 pitada de sal
| 30 g de margarina
| leite q.b. para pincelar
| açúcar mascavado para polvilhar

Preparação Tradicional:
Numa taça misture as farinhas com o açúcar e o sal.
Adicione a margarina fria, cortada em pedaços e com os dedos comece a amassar até que a margarina incorpore na farinha. Aos poucos vá adicionando a água fria, ao mesmo tempo que amassa com as mãos e até que a massa despegue dos dedos e todos os ingredientes estejam bem ligados.
Forme uma bola com a massa, envolva em película aderente e leve ao frio durante pelo menos 2 horas.
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Retire 1/3 da massa e reserve. Com o rolo da massa estenda a restante massa numa superfície ligeiramente enfarinhada, formado um disco maior que o diâmetro da tarteira que vai usar.
Transfira a massa para a tarteira e pressione ligeiramente com os dedos, contra o fundo e as laterais.
Prepare o recheio, misturando numa taça os mirtilos, o ruibarbo e o sumo de limão. À parte misture o açúcar mascavado, a farinha Maizena, a raspa de limão e o sal. Polvilhe esta mistura sobre os frutos e envolva bem todos os ingredientes. Verta esta mistura sobre a massa e cubra com a margarina em pequenos pedaços.
Com uma faca corte o excesso de massa em volta da forma, deixando-a à face das laterais.
Estenda a restante massa numa superfície enfarinhada e corte tiras com cerca de 2 cm de largura.
Disponha as tiras sobre o recheio, entrelaçando-as e com os dedos faça pressão por forma a que as tiras fiquem unidas à massa da base.
Pincele com leite e polvilhe com açúcar mascavado.
Leve ao forno cerca de 50 minutos ou até que a massa comece a dourar.
Retire e deixe arrefecer um pouco e se não conseguir resistir, sirva ainda morno e delicie-se.

Preparação Thermomix - Bimby:
Coloque no copo todos os ingredientes para a massa e programe (15seg/vel6).
Forme uma bola com a massa, envolva em película aderente e leve ao frio durante pelo menos 2 horas.
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Retire 1/3 da massa e reserve. Com o rolo da massa estenda a restante massa numa superfície ligeiramente enfarinhada, formado um disco maior que o diâmetro da tarteira que vai usar.
Transfira a massa para a tarteira e pressione ligeiramente com os dedos, contra o fundo e as laterais.
Prepare o recheio, misturando numa taça os mirtilos, o ruibarbo e o sumo de limão. À parte misture o açúcar mascavado, a farinha Maizena, a raspa de limão e o sal. Polvilhe esta mistura sobre os frutos e envolva bem todos os ingredientes.
Verta a mistura sobre a massa e cubra com a margarina em pequenos pedaços.
Com uma faca corte o excesso de massa em volta da forma, deixando-a à face das laterais.
Estenda a restante massa numa superfície enfarinhada e corte tiras com cerca de 2 cm de largura.
Disponha as tiras sobre o recheio, entrelaçando-as e com os dedos faça pressão por forma a que as tiras fiquem unidas à massa da base.
Pincele com leite e polvilhe com açúcar mascavado.
Leve ao forno cerca de 50 minutos ou até que a massa comece a dourar.
Retire e deixe arrefecer um pouco e se não conseguir resistir, sirva ainda morno e delicie-se.

18 comentários:

  1. Que aspeto fantástico! Estava capaz de comer umas 3 ou 4 fatias.. assim de seguida :)
    E fotos lindas ;)

    ResponderEliminar
  2. E que bom que é ter sempre à mão coisas tão saudáveis, tudo tem outro sabor, nada é igual.
    Mais uma tarte maravilhosa, e fotos maravilhosas.
    Bjs Célio ;)

    ResponderEliminar
  3. Mais uma deliciosa receita que aqui nos apresentas e com muita vontade de devorar.
    Identifiquei-me com a tua história, pois também eu tenho um mirtileiro que não tem tido muita sorte. No Inverno parece morrer e na Primavera rebenta umas folhinhas, mas não passa disso...
    Ruibarbo... Nunca utilizei, nem sei o sabor que tem, mas vejo que é utilizado cada vez mais.
    Visita o meu Blogue, gostava muito de te encontrar lá. Não é de todo como o teu, mas é o que faço com amor e carinho.
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  4. É sempre com um sentimento de prazer que olho as tuas fotos Célio. Neste caso, esta tarte linda que me trás uma vontade enorme de a saborear.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Que tarte linda!! Eu nunca fui fã de frutos vermelhos, excepto as amoras que comia em miúda. Mas este ano descobri que o meu smoothie/ batido favorito é com mirtilos! também comprei a dobrar com uma promoção no pingo doce. E ontem comprei um pé de ruibarbo, espero saber cuidar minimamente dele :)

    Bj

    ResponderEliminar
  6. Bom dia Célio, estive ausente por um tempo mas é impossível deixar de passar por aqui e apreciar o que essas mãozinhas de ouro fazem. Fico encantada com seus quitutes pois todos são feitos com imenso capricho.Esse entrelaçado por cima da tarte está perfeito, lindo. A tarte nem preciso falar que ficou maravilhosa, adoro mirtilos e colhidos ainda no pé, é delicia na certa. Adorei. Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Vou roubar Celio o meu filho adora estás tartes

    ResponderEliminar
  8. Bem meu amigo... esta tarte é o paraíso!!!
    Bem disseste que estava tudo pronto para quando chegasse essa tarteira linda.
    Tão boa! Onde pões as mãos sai arte <3 meu querido.
    Mil bejos e já está guardadinha...
    C

    ResponderEliminar
  9. que bom aspecto!!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Célio, que perfeição, está tão linda!
    Adoro estas tartes de frutos vermelhos, nem posso olhar para essa fatia, fico a imaginar o sabor acompanhada com uma bola de gelado...
    Lindo post ♥
    Bjinho

    ResponderEliminar
  11. Essa tarte tem um aspecto super apelativo :) Deve ser uma delícia :) Do meu quintal, este ano tenho conseguido alguns morangos, amoras e framboesas, mas nada que dê para juntar e fazer uma sobremesa... Mirtilos ñ tenho, mas tds os anos costuma vir uma remessa da Feira do Mirtilo em Sever do Vouga e congela-se para usar durante o ano ;) Tb sou fã de frutos vermelhos :) Bjinho!

    ResponderEliminar
  12. Acho que era capaz de comer já umas duas fatias bem generosas.
    Adoro mirtilos e fiquei curiosa na combinação com o ruibarbo. Ficou tão linda!!
    O meu mirtilo também parecia ter secado no inverno, entretanto não se via grande coisa, só umas folhinhas, e agora já lá estão uns quantos frutos para saborearmos. Mas arranjo sempre uma boa quantidade num horto de confiança e congelo para ter durante o ano.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  13. Eu também sou louca por frutos vermelhos Célio e mirtilos estão no topo da lista. Esta estação é mesmo rica em cor, perfume, sabor e doçura e concordo com todo o teu texto.
    Um mirtilo? Significa que ainda há esperança e o "mirtileiro" não te abandonou. Está s´a adaptar-se à nova casa, lol.
    Olha, cá entre nós, AMEI esta tua pie e digo-te em segredo, pois ninguém nos ouve: A tua está muito mais linda e apetitosa que a original e a tua cativou-me e prendeu-me o olhar e despertou-me a curiosidade, já a outra, a original, nem por isso e assim se confirma que os olhos são, de facto, os primeiros a comer!!
    Um beijinho e bom fim de semana,
    Lia

    ResponderEliminar
  14. Olá Célio: lindíssima esta tarte, com um aspeto delicioso e crocante. Gosto imenso de mirtilos e este recheio de cor vibrante, faz mesmo lembrar os dias longos e quentes do verão. Não conheço o ruibarbo,pois nunca o vi cá à venda,mas a combinação parece divinal!
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
  15. Wonderful tart, looks so crispy and delightful!

    http://beautyfollower.blogspot.gr

    ResponderEliminar
  16. Deve ser maravilhosa essa tarde, a textura da cobertura com aquele açúcar.. uiii Acreditas que esta acho mais porno que a dos frascos! :D Só pena o raio dos mirtilos e do ruibarbo custar os olhos da cara, um beijo

    ResponderEliminar
  17. Olá Célio,
    Senti uma imensa vontade de revisitar este tua tarte, porque de facto há receitas e imagens que nos fazem sonhar! Esta é uma delas para mim, uma tarte de sonho, aliás fico sempre a sonhar quando aqui venho!
    Gostei de me imaginar a passear por esses recantos cheios de fruta madura e perfumada, e visitei o teu pequeno "Mirtilo" que te deu 1 só fruto, mas se o cuidades com carinho e atenção vai-te retribuir com muitos mais. Tenho 3 pequenos em vasos e têm-me brindado as suas pequeninas flores tão lindas e delicadas e depois com um punhado de frutinhos que depenico enquanto os rego. Se puderes mistura na terra do vaso um pouco de composito (faço-o com cascas de fruta, restos de legumes), vais ver a diferença.!
    Já que aqui estou , vou sonhar mais um bocadinho e passear pela mousse de limão,, gelado de pinhão...
    Bjs

    ResponderEliminar