Tronco de Natal


O Natal é para mim um misto de sentimentos e um turbilhão de emoções. Se por um lado fico feliz com toda a envolvência desta quadra e por estar perto de quem mais gosto, por outro lado sinto-me nostálgico e triste, pois sinto a falta de quem já não está. Tenho saudades do Natal da minha infância, do cheiro da canela e do açúcar e dos sonhos acabados de fritar. Das broas de abóbora e batata doce com frutos secos, cozidas no forno de lenha e até das couves e do bacalhau que não dispensavam o azeite novo. A mesa era farta e não podia sequer faltar o bolo rei. A família toda reunida à volta da mesa e nunca faltava animação. Eu ansiava sempre pela manhã do dia de Natal. Mal acordava, ainda de pijama, corria para a chaminé da lareira aberta para saber o que o menino Jesus me tinha deixado no sapatinho - sim, ainda sou desse tempo, em que não havia Pai Natal, mas sim menino Jesus, em que não sonhávamos com a PlayStation nem sequer com um telemóvel novo e em que colocávamos o nosso sapato debaixo da chaminé. Quanto muito, o maior sonho passava por receber uma bicicleta ou um relógio. Mas ano após ano, o ritual repetia-se, os meus olhos brilhavam sempre e eu não conseguia disfarçar o sorriso quando recebia um pai natal de chocolate. Algo simples mas que me deixava imensamente feliz.


Hoje a mesa continua farta, estão lá o arroz doce, os sonhos e as rabanadas, mas ainda assim  está incompleta. O tempo ajuda a curar as feridas e a atenuar as saudades, mas a verdade é que o Natal nunca mais foi o mesmo de há uns anos para cá. Claro que gosto de ver a família reunida à volta da mesa, claro que gosto de estar junto dos meus, mas existe sempre o sentimento de perda e ausência. Sou apologista que devemos celebrar a vida sempre e em todas as ocasiões, até nos pequenos momentos. Por isso o melhor a fazer é entrar no espírito, abraçar as minhas pessoas queridas e agradecer por todas as boas oportunidades que a vida me tem dado. 

Em colaboração com a Nacional, preparei um Tronco de Natal, uma sugestão irresistível para as nossas mesas de Natal. Esta é uma alternativa aos tradicionais bolo rei e bolo rainha. Usei a Farinha para Bolos Nacional, agora mais branca e mais fina e preparada com trigos e fermentos seleccionados. Esta farinha é uma grande ajuda quando queremos que os bolos fiquem mais altos e fofos. Recheei com um delicioso creme de chocolate e manteiga e servi com fios de ovos. Agora sim, estão escolhidas as sobremesas que irão tornar este Natal mais docinho. A todos vocês que por aqui passam, os meus sinceros votos de um Feliz Natal!






Tronco de Natal

Ingredientes:
{para a massa}
| 200 g de açúcar
| 7 ovos
| 1 pitada de sal
| 1 c. (chá) de extracto de baunilha                          
{para o recheio e cobertura}
| 250 g de manteiga à temp. ambiente
| 200 g de açúcar em pó
| 2 c. (sopa) de cacau puro
| 200g de chocolate negro para culinária 

1 . Pré-aqueça o forno o 180ºC. Forre um tabuleiro de forno com papel vegetal e unte o papel com manteiga.

2 . Bata os ovos com o açúcar e a baunilha durante 6-7 minutos, até ter triplicado de volume e obter um creme fofo. Adicione o sal, a farinha peneirada e envolva com uma espátula até a massa ficar homogénea. Verta a massa no tabuleiro e leve o bolo ao forno cerca de 15 minutos.

3 . Retire o bolo do forno e desenforme sobre um pano húmido polvilhado com açúcar. Enrole, formando uma torta, partindo da extremidade mais estreita. Deixe o bolo arrefecer completamente, enrolado no pano.

4 . Pique grosseiramente 100 g de chocolate negro e leve a derreter em banho-maria ou no microondas em intervalos de 30 segundos. Verta o chocolate sobre uma folha de papel vegetal, espalhando bem com uma espátula e formando uma camada bem fina. Reserve e deixe solidificar (caso pretenda acelerar o processo, coloque no frigorifico).

5 . Derreta os restantes 100 g de chocolate negro e deixe arrefecer um pouco. Bata a manteiga juntamente com o açúcar em pó e adicione o chocolate derretido. Bata durante alguns minutos até obter um creme bem fofo.

6 . Desenrole a torta e recheie com uma parte do creme de chocolate. Volte a enrolar, apare as extremidades e corte na diagonal uma das pontas. Coloque de lado, formando um tronco e barre com o restante creme.

7 . Parta o chocolate reservado em lascas e decore o tronco a gosto com as lascas de chocolate e cacau em pó.






3 comentários:

  1. Palavras muito bonitas Célio, sinto a mesma saudade e nostalgia. Procuro que as memórias sejam motivos para me aquecer o coração e sentir mais perto os que já cá não estão. Bons pequenos grandes momentos para ti e família:)

    ResponderEliminar
  2. Que palavras tão lindas Célio, um pouco do que eu sinto também nesta altura.
    Ontem estive a escrever o meu post de natal e escrevi memórias semelhantes às tuas, tão boas :) São elas que me aquecem o coração tantas vezes, e ficam para sempre.
    Este tronco está perfeito, és um baker excepcional, adoro o teu trabalho e as tuas receitas.
    Desejo-te umas Boas Festas, meu amigo. Um Feliz Natal para ti e para os teus, bem docinho.

    ResponderEliminar
  3. O Natal nunca mais foi o mesmo depois da morte da minha avo materna. Ha sempre coisas que nunca voltam e a sua continuada ausencia faz doer. E desde que vivo noutro continente, mais dificil se torna manter aquele mesmo espirito que a quadra inspirava. Continuo a tentar sempre manter algumas tradicoes vivas e passa-las aos meus filhos. Vim aqui a procura do tronco de Natal que sempre fez parte da nossa mesa, assim como a consoada de bacalhau, o arroz doce e a mousse de chocolate. Obrigada por me ajudar a manter o "cordao umbilical" as mingas raizes.

    ResponderEliminar